Pra ninguém a vida é fácil

0
111

Nem pro ultra mega maravilhoso George Clooney, que sirva de consolo então. Piadas recorrentes dizem que “todo homem deveria pelo menos uma única vez na sua existência, trocar de corpo com o George Clooney.” (As piadas não especificam por quanto tempo, mas imagino o suficiente para sentir o gostinho autêntico de ser O Cara!) Tanta coisa já foi dita, escrita e falada a seu respeito que vou poupar-lhe por hoje. Não ficarei me derretendo… Aliás, minto, vou justificar o porquê desse quase derretimento!

Nem O Cara ficou imune à sensação (e a experiência) de fracasso: (…) “Eles dizem que eu era um Batman ruim, que a culpa foi minha, que eu enterrei a franquia. Mas a verdade é que foi um grande projeto. Eu era muito intimidado nesse mundo. Eu fiz o melhor que pude na situação em que foi dada.” Batman & Robin (EUA-2007) filme tendo a direção de Joel Schumacher, sob óptica dos verdadeiramente apaixonados pela franquia do Homem-Morcego foi considerado uma desgraça. Levando inclusive no ano seguinte a faturar quase todos os prêmios “Framboesas de ouro” por sua ruindade!

Vamos refrescar a memória: “Batman” (EUA-1989) trazia o Michael Keaton no papel principal, Jack Nicholson como Coringa e a gatésima Kim Basinger como Vicki Vale. No ano de 1992, Michael Keaton continuaria no título “Batman Returns,” Danny De Vitto se travestiria de Pinguim e Michelle Pfeiffer arrasaria no papel da Mulher-Gato. Esses 2 filmes foram dirigidos por Tim Burton. “Batman Eternamente” não chegou a comprometer a qualidade dos anteriores, na substituição de Keaton por Val Kilmer, curiosamente Joel Schumacher já assinaria a direção, tendo Nicole Kidman como Chase Meridian, Tommy Lee Jones como Duas Caras e Jim Carrey se superando como Charada. Chris O’Donnel apareceria interpretando Robin, nessa película e na de 2007. (Outras feras: Uma Thurman e Arnold Schwarzenegger não salvariam o tal fiasco.) Seriam necessários 12 anos até Christian Bale vestir a armadura de Cavaleiro das Trevas em “Batman Begins” (2005), com a participação de Gary Oldman, Morgan Freeman, Liam Neeson e Ken Watanabe entre outros grandes astros, tendo na direção Christopher Nolan, que se manteria em “Batman The Dark Night” (2008), no qual ficaríamos “ligados no Coringa” à última magistral atuação do australiano Heath Ledger (1979-2008). O 3º filme sob a batuta de Nolan, “The Dark Knight Rises” já está nos estágios finais, provavelmente sendo lançado em julho deste ano. Christian Bale e uma lista fantástica de bons atores integrarão o elenco.

Sou suspeita para falar do meu herói favorito. O que me chamou atenção, numa recente entrevista que assisti do Clooney foi justamente o fato de afirmar que deu “o máximo do máximo” e as coisas não saíram como se previa… A gente sabe que a beleza da vida justamente é reinventá-la a cada instante, ele se recuperou e foi em frente, fazendo outra dezenas de ótimos filmes, inclusive dirigindo alguns. Pra você ver… que se nem o ultra mega maravilhoso escapou de fracassar uma vez na vida, porque seria diferente com nós os pobres mortais? Por isso cabe aqui e em quaisquer circunstâncias aquele Provérbio Japonês que nos diz: “Caia sete vezes. Levanta-te oito.”