Enquanto o sol deita orelhas sobre a coxilha

0
142

É mais fácil subir o morro do que descer sobre os trilhos. A manhã se espia nas dobras. De que vale esperar quem não ficou de vir? Saúde os pássaros se tens preguiça de aplaudir os artistas, porque aqueles ainda cantam graciosamente. As mulas empacam ou imitam as bestas? Quando valorizas tua voz, deves estar surdo, manco, quiçá, queiras te comunicar com outros planos! Ficam a dormitar bovinos. Andar na companhia dos teus pode ser bem melhor do que de outros “eus”. Ser livre é sentar na beira do abismo e curtir a liberdade!

À porta grande, sempre haverá alguém na tua espera. Desapegue-se de coisas ruins, curta as boas. Na escuridão há muita luz, basta você abrir os olhos. Falar não basta, seja o espelho. Queres viver, viva agora, o depois…! Viver de mordomias e se aposentar em poucos anos? Ah, é fácil, basta entrar na política! Qual a finalidade dos impostos, taxas, contribuições de melhorias e outros? Distribuí-lo entre os seus assessores? Quando a verba termina? A “tropa” estoura! Os gestores insensatos desaparecem, depois da tormenta, reaparecem feito deuses salvadores. A lembrança do Santo vem na hora da precisão.

Cavalgou rumo ao infinito, mas o cavalo cansou no meio do caminho…! Quero ver cortar as aspas de boi mocho! Além do serelepe, macaquinho também colhe coquinho! Enfrentar as dificuldades tem mais sabor do que chupar pirulito. Ao invés de andar dependurado nos outros, construa tua própria trajetória. Lesar o alheio é levar o impróprio. Apimente os teus olhos, depois administre um colírio aos outros. Tuas virtudes nunca foram minhas. No teu imaginário, poste-te no lugar do semelhante, somente após isso, ponha-te a ministrar lições. Viste a luz ao longe, ela está a tua espera.

Desconsidere o passado, saúde o presente e lance tuas sementes. Ofereça um trono ao assoberbado e senta-te num cepo, jamais te arrependerás! Olhos que lançam chispas, matam serpentes. Aquele que prega, está para o semelhante, tal a Sol para a Lua. Fatiar tudo, para ver os resultados, pode estabelecer a falta de sementes para novos plantios (até parece determinada situação atualíssima). Remédios curam? Conselhos graciosos são úteis? Nuvens passageiras, meteoros e ascensão rápida possui vida efêmera. Vender um produto com imposto embutido e não recolhê-los ao erário, é crime dobrado. Ao se deitar e deixar espaço para a Lua, o Sol se torna um gigante em humildade.

Perdeste a capacidade de sonhar? Lance os olhos aos mutilados, depois, conte ao mundo os resultados. Com tanto espaço no universo, por que fazer sombra para outrem! O dourado das lápides tem mais valia que a cruz de pau ferro? Até aonde vai o limite da liberdade? Quando o desânimo manda recado, diga a ele quem é mais forte! Quando alguém zombar dos meus pés descalços, zombo da infelicidade dele. Com os pés no chão, há mais segurança. Rês furtiva trará bons frutos? O olhar da humildade destrona a prepotência. As súplicas honestas aumentam os volumes dos rios.

O exercício da liberdade desafia a própria consciência. Chegar ao lugar onde os outros já chagaram, é exercício de repetição. Retornar as origens, jamais constrange, pelo contrário, eleva o ser. Superações são vitórias sobre si mesmo. Realizar aquilo que está no seu encargo não representa mérito algum, apenas, o cumprimento de uma obrigação. Ser honesto não vilipendia, nem menospreza, também não desagrava, não desvirtua, logo, se manter honesto é legal. O bem e o mal estarão em permanente conflito. Receber algo de mão beijada, desmerece comemoração. Uma palavra “celeste” traz as alvíssaras do Criador. Desistir de um embate, conduz ao fracasso terreno. A felicidade é uma pérola, principia igual o desabrochar das pétalas e dura tal elas. O romantismo se esvai qual um sorriso relâmpago, mas pode retornar, eternamente, enquanto o Sol deitar orelhas sobre a coxilha.