Mentiras ou cânticos de paz

0
145

Havia um tempo em que a frase retumbava – quem mente perde os dentes! A poucos dias ainda ouvia uma senhora sessentona faceirita, quando algum mencionou amoras, retorquiu de pronto – vou contar pro teu pai que tu namora. Frases singelas de um tempo ido, mas basta uma alusão e elas retombam dos idos. Em momento presente nas terras cabralinas, havia uma senhora dizendo…, inverdades. Isso, em pleno período eleitoral. Logo vem à tona, um tempito um pouco anterior, quando havia outra administração federal, e devido as manifestações do período, se falava por demais, num tal de detector de mentiras. Bah, um detentor de mentiras nos tempos atuais…explodiria!

Logo, se quem mente perde os dentes, alguém já está ou estaria banguela! Desnuda de dentes. Alguém há de saber das razões das pessoas em proferir inverdades? Por estes lados, faz escola, se dizer que não sabia de nada, embora engordasse em contas bancárias, vastíssimas extensões de terras, propriedades urbanas e um sem fim de outras…! Nas terras cabralinas, efetivamente, a inverdade merece prêmios. Aliás, um grande grupo de fantasmas assombra os presídios, porém, por poucos dias, enquanto isso, outros da mesma nacionalidade mofam nos mesmos presídios, ainda que houvessem cometido crimes mais amenos.

Ao longe ainda badalam os sinos dos insurgentes, ora ostentadores do poder, aludindo a roubalheira em território Pedro-alvarino, referindo que a empresa coca-cola se prontificara em pagar a dívida externa brasileira, desde que a isentassem do recolhimento de tributos pelo período de dois anos. Hoje, a dívida interna está para impagável!

Numa artimanha procedida no governo do falastrão, se criou uma situação ilusionista, enganando grande parte do contingente populacional. Segundo o Correio Braziliense, em agosto de 2014, o Brasil se encontrava nesta situação: Mesmo com a economia patinando, a dívida externa bruta do Brasil está crescendo e chamando a atenção dos especialistas. Passou de US$ 351,9 bilhões, em 2010, para US$ 523,7 bilhões em junho deste ano, valor que supera os US$ 379 bilhões das reservas do país. O aumento, no período, foi de 48%.     

Segue o Correio Braziliense – Você ouve falar em dívida externa e interna não entende direito, vamos explicar a seguir: Dívida externa – é uma dívida com os Bancos, Mundial, o FMI e outras Instituições, no exterior em moeda externa. Dívida interna – é uma dívida com Bancos em R$ (moeda nacional) no país. Então, quando Lula assumiu o Brasil, em 2002, devíamos: dívida externa = 212 Bilhões, dívida interna = 640 Bilhões, total da dívida = 851 Bilhões. Em 2007 Lula disse que tinha pago a dívida externa. E é verdade, só que ele não explicou que, para pagar a dívida externa, ele aumentou a dívida interna: Em 2007 no governo Lula: dívida externa = 0 Bilhões. Dívida interna = 1.400 Trilhão, total da dívida = 1.400 Trilhão, ou seja, a dívida externa foi paga, mas a dívida interna quase dobrou.

Agora, em 2010, você pode perceber que não se vê mais na TV e em jornais algo dito que seja convincente sobre a dívida externa quitada. Sabe por que?  É que ela voltou… Em 2010 no governo Lula: dívida externa = 240 Bilhões. Dívida interna = 1.650 Trilhão, total da dívida = 1.890 Trilhão, ou seja, no governo Lula, a dívida do Brasil aumentou em 1 Trilhão!!! Daí é que vem o dinheiro que o Lula está gastando no PAC, Bolsa Família, bolsa educação, bolsa faculdade, bolsa cultura, bolsa para presos, dentre outras mais bolsas… E de onde tirou 30 milhões de brasileiros da pobreza!!! E não é com dinheiro do crescimento, mas sim, com dinheiro de endividamento. Compreenderam? Ou ainda acham que Lula é mágico?   Ou que FHC deixou um caminhão de dólares para Lula gastar?

Ao invés da mentiras contumazes, poderiam entoar cânticos de paz!