O futebol e seus mistérios

0
121

No último sábado (17), a Associação de ex-atletas promoveu o 8º Encontro de saudosos. A festa esteve bem organizada e a oportunidade do reencontro foi algo magnífico. Então, que a gurizada que dirige a Associação mantenha o vigor e a força para promover ano a ano, esses momentos especiais, prestando ainda, homenagens à ex-atletas, dirigentes e pessoas ligadas a diversas atividades desportivas. Esses momentos são tão significativos que antigos – quase inimigos, ao relembrar os momentos de enfrentamento campal, algumas rixas antigas são desfeitas com abraços.

Uma notícia interessante foi repassada aos presentes pelo prefeito Eduardo Loureiro, quanto a um espaço destinado ao Museu do Esporte junto ao remodelado Ginásio Marcelo Mioso. A memória do esporte local poderá ser armazenada com em local adequado e de certa forma, eternizada. É justo lembrar os memoráveis tempos de outrora do futebol em Santo Ângelo, estádios lotadíssimos, torcedores fanáticos por seus clubes (Elite, Grêmio e Tamoio), uma rivalidade desportiva acirradíssima, conquistas locais, regionais e estaduais de expressão. Para tudo isso e muito mais, há que se ter uma carinho especial, pois, reflete – parte da história da nossa gente.

A bola que move o mundo tem a mesma forma em todo o planeta (exceto a do beisebol), ela é redonda e rola pelos gramados e quadras fascinando multidões, pois, nesse campo, também, Santo Ângelo está tentando se soerguer, para novamente integrar a elite do futebol gaúcho, embora nos últimos anos, tenhamos ficado na expectativa; lutar deve ser a marca maior, até alcançar o objetivo. Se bem que isso não se constitui em “privilégio” da SER, há um rol de clubes buscando o mesmo objetivo.

Ainda que sejam traçadas metas e objetivos no início das gestões, alcançá-las são outros quinhentos mil réis…! Planejar é fundamental em qualquer empreendimento seja ele do ramo que for. No futebol, diante da sua própria natureza, as almejadas metas estão diretamente ligadas com uma série de circunstâncias, por vezes, até difíceis de serem postas, diante da complexidade. É a preparação física, psicológica, atlética, conjunto de equipe, a vaidade dos atletas, o espaço na mídia, os salários, a alimentação, as festas permitidas e as escapadas da concentração, tudo isso influi no êxito final, por fim ou começo, o treinador.

Nessa atividade há grandes percalços desconhecidos do torcedor, e por vezes, coisas que devem ser mantidas a setecentas chaves. Veja o leitor, o caso de Fernandão no Inter, foi o pivô da demissão de Dorival e em seguida, assumiu o papel do demitido. Ora, para quem viveu o vestiário, a concentração, é bem fácil de compreender as razões pelas quais diversos jogadores fizeram corpo mole. Fernandão perdeu a confiança do grupo. Mas agora darão o sangue. Fernandão foi antiético ao lavar roupa suja em público! Fê-lo por duas vezes, logo com seus companheiros, eles que seguraram a barra quando ele jogou pouco, inclusive na final do mundial. Ele colheu os frutos das sementes por ele plantadas. O Inter será outro!

Na SER Santo Ângelo, um novo presidente, mantido o ex-presidente na condição de vice, desconhecemos a equipe do futebol, mas uma coisa é certa, há que se por as pessoas certas nos cargos certos. Esse é o primeiro passo para alcançar os objetivos.