Partidas

0
119

Na vida enfrentamos as mais diversas situações e na forma em que elas se apresentam, quase nunca na qual pretendemos. Por vezes, somos agentes passivos, jamais por falta de atitude, mas por questões alheias à nossa vontade. Quando dispensamos o suspensório somos obrigados a usar da imaginação, do contrário, ficaríamos amarrados à saia da mamãe, eternamente.

E dentre as coisas que mais nos instigam é a linha tênue entre a vida e o depois dela. Talvez, um dos eventos mais instigantes e incompreensíveis seja a partida. Entende-la, ainda criança, jovem e até mesmo, quando o sujeito avança no tempo, permite a poeira levantar e sentar outra vez. Explicações nos dão inúmeros, mas convencer-nos, fica difícil. E quando as pessoas nos são imensamente caras, então: Compreender? Entender? Aceitar!

Indiscutivelmente o ser humano se agrupa por afinidades, daí nascem entidades sociais, clubes de serviços, do bolinha e/ou da luluzinha, artísticos, ecológicos, sempre unindo os afins e esses formam elos profundos. Ainda que haja divergências entre os seus integrantes, os elementos humanos constituem laços robustos.

Havia dias os recantos de outra querência foram enriquecidos com o espírito da Dona Glória Oliveira de Almeida, estreitamente ligada ao Centro de Tradições Gaúchas 20 de Setembro. Nossa Glorinha, assim chamada carinhosamente, ofereceu os seus préstimos para a entidade, por longa data, exercendo diversos cargos, dentre eles, o de conselheira (Conselho de Vaqueanos). Na companhia de Iunes Martins de Almeida formou em 1999, o casal de Patrões. Partiu Glorinha, deixando na mente de todos a sua imagem, seu semblante! Restam as lembranças, os feitos, as conquistas. Uma neta de Glorinha – Ana Paula –, explicou para a bisneta Manoela: a vovó virou estrelinha. Será que ela entendeu?! Explicar uma partida aos pequeninos! Qual a melhor forma? Há uma fórmula!

Por outro lado, quanta felicidade com a chegada de peãozito ou uma prendinha, aí fica fácil explicar. A cegonha!

Há bem menos dias, a partida de outro integrante do quadro social do CTG 20 de Setembro, Gilberto Ribeiro, por igual, grande figura. Mão de confiança de tantos patrões. Por ser mão limpa, sempre lhe sobrava o encargo no trato das patacas. Figura destacada, já atuara em todos os setores da casa, mas ainda lhe faltava cumprir com o dever de comandar a entidade. Qualidades para tanto, possuía de sobra. A Ereni e os guris estão grandinhos, ainda assim, se questiona a maneira pela qual o Gilberto se obrigou a montar noutro tostado e camperear pros pagos do além! Onde fica esse lugar?
Do jeito que as cousas andam pros lados do velho 20, já botei minhas barbas de molho, preparei uns versos pro arremate, lustrei bem minhas botas, separei as fortunas para cada herdeira, lancei um olhar atrevido, mas me espelhei na ovelha, logo, tão fácil não me entrego. Ainda não é desta vez…!