Troca de Liderança na Academia Santo-angelense de Letras

0
111

Ainda que sem remuneração, as entidades de serviços, as confrarias, as academias e outras entidades congêneres, possuem legislação própria, mas adequada às leis pátria. Desta forma, e em consonância com os seus estatutos sociais, a Academia Santo-angelense de Letras também realizou as eleições para mesa diretora, em meados de 2011, de forma online (uma inovação, na Academia). A posse dos novos dirigentes foi realizada numa sexta-feira – 13, para dar muita sorte! Assim ocorreram dois fatos interessantes: a uma, a forma da expressão do voto; a duas, a posse em sexta-feira – 13!

Ao pleito concorreram dois candidatos (fica difícil dizer duas: havia candidatos de ambos os sexos), mas sem qualquer disputa, nem mesmo de vaidades. A maturidade está presente no grupo voltado à cultura! Todavia, não há cordeirinhos aceitando imposições, cada qual defende suas convicções. Aliás, é desses grupos que se exige ações, competências, flexibilidades, habilidades, sem deixar corromper a essência da personalidade.

Do pleito sobressaiu vencedora a Asle, a qual será dirigida no biênio abril 2012/2014, pela Acadêmica Dinalva Agissé Alves de Souza – Presidente; Paulo Prado Machado – vice-presidente; Edna Lautert – Presidente do Conselho Fiscal. Edna também continuará desempenhando as funções no Conselho de Imprensa, Comissão de Patrimônio. Ao ex-presidente Mário Simon e seus pares, há que se reconhecer a relevância dos trabalhos na condução da entidade, mantendo o alto nível da Academia. De outra banda, aos novos dirigentes se deseja uma gestão plena de êxito. A Academia está em busca de sua sede própria, reivindicação proposta e encaminhada verbalmente, por gestões anteriores, mas que neste momento, já há luzes radiantes!

A atual presidente, DINALVA ocupa a cadeira número 6, tendo por patrono Graciliano Ramos. A confreira Dinalva Agisse Alves de Souza é natural de Dom Pedrito/RS. Veio para Santo Ângelo em 1972, estabelecendo-se como moradora e cidadã santo-angelense. É graduada em Letras, pela Fundames, atual URI, onde exerce sua função profissional como professora. Tem curso de Especialização em Letras – Metodologia do Texto Literário Infantil e Infanto-juvenil e Especialização em Gestão de Pessoas, pela URI, e é Mestre em Letras – Linguística Aplicada – pela PUCRS. É casada com Camrobert Ribeiro de Souza, tem dois filhos: a Sabrina e o Fábio e é a vovó coruja do Theodoro. Como escritora, escreve contos, crônicas e poemas, dedicando-se também à produção de textos e artigos científicos ligados à sua área de formação e voltados à educação. Escolheu Graciliano Ramos por patrono, pois, se identifica expressivamente com a temática da obra desse grande autor, voltada à realidade social (contribuição Edna Lautert).