Pesquisa confirma que esplendor que está na Diocese de Cruz Alta é uma obra Missioneira

0
236
Segundo Hüttner, esplendor/ostensório faz parte das peças das reduções jesuítas, com estimativa de 280 a 300 anos. Fotos: Arquivo pessoal/Edison Huttner

A confirmação, chegou no domingo (6), após análise feita pelo professor e pesquisador da PUC/RS, Edison Hüttner e seu orientando de doutorado, professor Cláudio Lopes Preza Júnior.

Segundo Hüttner, o esplendor (ou ostensório) faz parte das peças das reduções jesuítas, com estimativa de 280 a 300 anos – considerada arte sacra barroca jesuítica dos séculos 17 e 18.

“Temos alguns elementos importantes desta escultura, como os detalhes em policromia, que era uma técnica muito utilizada pelos jesuítas, em gesso, com cores amarela, azul e vermelha, que é um aspecto muito importante da tradição da arte jesuítica. Outro aspecto são os cravos missioneiros, que se apresentam como uma das características marcantes das obras sacras missioneiras dos séculos XVI a XVIII”, explica.

A descoberta

Segundo o professor Edison Hüttner, é uma peça muito rara, difícil de encontrar, visto que a quantidade de ostensório era bem menor que a de Santos feitos na época.

Os estudos iniciaram em junho deste ano, após contato com Cristiano Fabris, arquiteto que trabalhava na restauração da Catedral de Cruz Alta e percebeu a possibilidade de ser uma peça histórica.

Hüttner conta que, com a permissão de dom Adelar Baruffi, bispo diocesano, grupo de estudou veio até Cruz Alta buscar a peça para realizar a pesquisa.

A pesquisa

A restauração foi feita pelo próprio Hüttner sob a orientação de Carla Rigotti, na Oficina Museográfica do Museu de Ciências e Tecnologia (MCT), também com a colaboração do doutorando do curso de Pós-Graduação em História Cláudio Lopes Preza Júnior.

“A análise de microscópio de varredura no nó do cravo e policromia foi realizado no Laboratório Central de Microscopia e Microanálise da PUCRS (LabCEMM), realizado pelo técnico Leandro Menezes Baum”, detalha Hüttner.

A pesquisa foi realizada pelo Grupo de Arte Sacra Jesuítico-Guarani da PUCRS.

Cuidados 

Para a prevenção (de vírus e bactérias) foi utilizado o aparelho de Luz Ultravioleta.

Ainda, conforme explica o pesquisador, para a prevenção (de vírus e bactérias) foi utilizado o aparelho de Luz Ultravioleta C (UV-C) Huttech Tower com duas lâmpadas UV-C, desenvolvido pelo odontologista Eder Abreu Hüttner, coordenador da Startup Huttech, sediada no Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc).

De volta a Cruz Alta

A peça, já de volta à Catedral Diocesana de Cruz Alta, ficará exposta no local previamente preparado, durante a celebração de dedicação e bênção do altar, que será realizada no domingo (13).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here