Comércio já sofre os reflexos da seca

0
108

Luiz Carlos Dallepiane, presidente do Sindilojas, lamenta a frustração da safra de soja

O comércio de Santo Ângelo já começa a sentir o reflexo da seca nas vendas. Essa queda é o principal tema que vem sendo tratado pela direção do Sindicato do Comércio Varejista-Sindilojas/Missões junto aos seus associados.

“Estamos vivendo um drama irreparável e extremamente preocupante provocado pela seca”, afirmou Luiz Carlos Dallepiane, presidente da entidade.

Mesmo sabendo que a queda nas vendas é pontual nesta região do Estado, Dallepiane diz que o lojista vive um dilema: “Trabalhamos 2012 com a expectativa de crescimento nas vendas diante da realidade econômica do país, porém hoje esse otimismo se transformou em recessão”, diz o presidente do Sindilojas/Missões.

Em sua opinião, o primeiro reflexo da crise da agricultura acontece no comércio. Luiz Dallepiane ressalta que, desde janeiro, as vendas já vem em queda. Ele estima momentos mais críticos para os meses de abril e maio, onde poderão ocorrer demissões no setor.

Conforme o presidente do Sindicato Lojista, parecer técnico da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo aponta para um crescimento de 6,5% no volume de vendas para este ano.

“Nas regiões afetadas pela seca, isso não vai se confirmar. Nossa queda será de no mínimo 50%”, afirma Dallepiane.

Entre os fatores apontados por ele está a evaporação de R$ 47 milhões somente com a cultura da soja, que, em Santo Ângelo, apresenta prejuízo de 80% e que deixarão de circular na cidade.

Outro dado é que os produtores rurais estão desestimulados, e isso reflete diretamente nas vendas dos vários setores do comércio.

Dallepiane diz que infelizmente o aspecto emocional das pessoas está abalado devido à seca.

“Nunca havíamos convivido com um período tão longo de escassez de chuvas que já soma 90 dias”, comenta o presidente do Sindilojas/Missões.