Empresários estão mobilizados contra supervalorização do piso salarial regional

0
111

Sindicatos do comércio varejista estão atuando junto à AL para reverter regra de reajuste

A Fecomércio/RS, em conjunto com as demais entidades (Fiergs, Federasul, FCDL e Farsul), ao longo dos últimos meses desenvolveu uma série de ações, apresentando ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) e ao governador do Estado seu posicionamento contrário ao Piso Regional e ao estabelecimento de uma regra de reajuste para este.

Dentro deste conjunto de ações articuladas, em janeiro, no recomeço das atividades do parlamento gaúcho, os sindicatos de comércio varejista de todo o Estado passaram a atuar junto aos deputados estaduais, visando a não aprovação da proposta da forma como se encontra.

O presidente do Sindilojas Missões, Luiz Carlos Dallepiane, disse essa semana que a entidade encaminhou documento a todos os deputados da macrorregião noroeste do Estado. “No último dia 20 de dezembro, o Governo estadual encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei n° 455/2011, que propõe um reajuste de 14,75% no Piso Salarial Regional. Como a proposta tramita em regime de urgência, e o prazo final para sua apreciação será no dia 28 de fevereiro de 2012, nós estamos empenhados em mobilizar e sensibilizar aos parlamentares, para que essa proposta não passe da forma como se encontra. Queremos uma revisão geral, em que pese a análise da evolução econômica dos últimos anos, feita pelas entidades”, declarou.

Segundo o Sistema Fecomércio é muito importante a mobilização dos Sindicatos, reforçando este posicionamento para aos deputados de sua base, bem como, através do envio de correspondência.

Para auxiliar aos sindicatos foram distribuídos materiais para todas as regiões do Estado, com a íntegra do projeto, sugestão de correspondência, apresentação conjunta das Federações, criando uma comunicação padronizada e, mais que isso, mostrando a mobilização do empresariado gaúcho, que não está mais na posição de mero espectador, e também quer ser agente de transformação.

“Nós queremos que toda a proposta de reajuste seja avaliada com a participação do empresariado gaúcho, que é quem mais sofre com o impacto dos índices de reajuste”, conclui Dallepiane.