A torcida feminina da Asaf

0
108

Conheça algumas integrantes da ala feminina de torcedores da equipe

Elas acompanharam o dia a dia a Asaf, sofreram junto com o time nas derrotas e tiveram a alegria de comemorar as vitórias e o título da Série Prata em 2012. A torcida feminina da Asaf, composta pelas namoradas, esposas e mães dos atletas e também por amigas, primas dos jogadores e fãs do futsal, desempenharam um importante papel na motivação dos atletas para a conquista do título.

Na reta final do campeonato, fizeram uma corrente de boas vibrações pelo time e se reuniram para ouvir os jogos fora de casa, principalmente na fase mata-mata. “Depois que soubemos que estaríamos impedidas de ir até lá (em Cachoeira do Sul), resolvemos fazer uma surpresa, e mandamos um banner para o jogo. Foram vários os fatores que asseguraram esta vitória. A Asaf é um time, uma equipe. Todos contribuíram, todos são vencedores. Esta conquista foi resultado do esforço de todo o grupo e de comprometimentos individuais. Falando particularmente, o Raul acreditou em si, acreditou no grupo e dedicou sua mente, seu corpo e seu coração ao time. Isso é essencial”, observa Kátia Ribas Sawitzki, esposa do técnico Raul Sawitzki.

A mãe do atleta Rudiero Zalamena, Norma Avrella Zalamena, observa que a conquista do título torna-se a alegria de toda a família. “Como família, não tem como não entrar junto na euforia da conquista. A felicidade deles é muito gratificante. Quando tu vê teu filho radiante de felicidade, não tem como não se emocionar também”, salienta.
Norma, que já viu seus dois filhos serem campeões da Série Prata (Rudiero e Jacson), salienta que a atividade do jogador de futebol exige muita doação, e a família deve entender esse lado. “Eles têm um trabalho estafante, que exige esforço diário. A paixão pelo futebol está no DNA da pessoa. Aprendi a gostar em função da paixão do meu marido e dos meus filhos pelo esporte. E a família deve entender isso, porque, às vezes, em festas importantes da família, meus filhos não puderam estar presentes pelo compromisso com o futebol”, complementa.

Para Fabiula Oliveira, namorada do jogador Gugu, o principal fator para a conquista do título foi a união do grupo. “A vontade de querer mostrar pra todos que eles podiam sim vencer o campeonato e mostrar que eles não eram menos que ninguém. A gente sofre no decorrer do campeonato, porque o torcedor ve só na hora do jogo e a gente acompanha dia a dia, acompanha também as dificuldades do time, o sofrimento deles com as lesões. Foi gratificante ver a felicidade dele e de todo o time podendo realizar o sonho de ser campeão da Série Prata”, acrescenta.