Com vantagem, Santo Ângelo joga amanhã contra o Internacional

0
107

Em jogo que ocorre na Morada dos Quero-Queros, equipe missioneira busca classificação

O Santo Ângelo encara o Internacional nesta sexta-feira (10), às 15h, no CT Morada dos Quero-Queros, em Alvorada, no segundo jogo das quartas de final da Copa FGF Sub-19. Com a vitória por 2 a 0 no primeiro embate, o time missioneiro vai para o jogo com a vantagem de poder empatar ou até mesmo perder por um gol de diferença para se classificar às semifinais.

Para o técnico Matheus Duarte, apesar de a equipe estar com a vantagem de dois gols, a partida não será nada fácil. “A partida será uma guerra, nós vamos jogar contra os atuais campeões da competição. Estamos com a vantagem, mas futebol somente é decidido em campo”, destaca.

TIME DEFINIDO
Após o treino coletivo na tarde de ontem (8), o técnico do Santo Ângelo definiu o time que começará jogando em Alvorada e aproveitou para fazer algumas orientações técnicas à equipe. O treinador ressalta que gostou muito da forma como a equipe se portou diante do Inter, e frisa que a prioridade para o próximo jogo serão a marcação e o contra-ataque, na tentativa de surpreender o time colorado com a velocidade.

Sem Jardel, que levou o terceiro cartão amarelo, e Mário Nascimento, que sofreu uma grave entorse e está fora da competição, as alternativas para o técnico são Yan e Bernardo. O time começará o jogo com Eduardo; Padel, Igor Baiano, Bernardo e Macalé; Yan, Antônio Carlos, Chales e Wendril; Plínio Junior e Vinícius.

FUTURO COMO TREINADOR
Perguntado sobre seu futuro como treinador, e sobre os bons resultados que vem obtendo com o grupo do Santo Ângelo como técnico, Matheus destacou que já foi sondado pelo clube missioneiro e por mais um clube para dar prosseguimento à carreira de treinador, após o término da atual competição.

“Sinceramente, não estou pensando nisto. Estou focado, com os jogadores, apenas em ganhar a competição. Só vou tomar decisões sobre meu futuro após o fim do campeonato”, destaca.

Quanto a possíveis propostas, ele conta: “Nada formal, apenas sondagens. É uma decisão difícil se vou continuar treinando, até porque tenho outra profissão, mas estou muito feliz, consegui me entender bem com os atletas, praticamente formamos uma família no grupo”, ressaltou Matheus à reportagem do Jornal das Missões.