Participação do Santo Ângelo na Copa FGF depende da obtenção de patrocínios

0
105

Clubes têm até 26 de maio para confirmar sua presença na competição

Com a eliminação na Divisão de Acesso, o que pôs fim ao principal objetivo do clube na temporada, o Santo Ângelo agora volta os olhos para seu futuro. O diretor-executivo de futebol, Edson Machado, diz que, no segundo semestre, o clube disputará a Copa FGF Sub-19, cuja vaga já foi solicitada, e que, em relação ao futebol profissional, a participação na Copa FGF, conhecida como Copinha, depende da obtenção de patrocínios. A competição começará no dia 16 de julho e os clubes têm até 26 de maio para confirmar a participação.

Também, em novembro, será promovida a 1ª Copa Internacional Santo Ângelo de Futebol Sub-19, com participação de sete convidados. Todos de 1ª divisão, segundo Machado – clubes da Argentina, Uruguai, México, Paraná, São Paulo e dois convidados do Rio Grande do Sul.

“O que nós temos de concreto é que vamos continuar o planejamento. O clube não vai parar. Quanto à participação na Copinha, vou viajar neste fim de semana a São Paulo para tentar viabilizar um patrocínio. Se conseguirmos este patrocínio, juntamente com o apoio que a Vonpar continua nos dando, vamos disputar a Copinha. Sem isso, a participação se torna impossível”, diz Edson, que frisa que o clube está aberto a negociações de patrocínio. “A Copinha é um desejo muito grande nosso, até porque temos atletas com contrato até a metade do ano que vem e pretendemos contar com eles. Mas, se não for possível disputarmos, vamos emprestá-los”, complementa.

JOGADORES E SAÚDE FINANCEIRA

Têm contrato até 2015 os jogadores Rossi, Uilian Nicoletti, Ceará, Padel, Lucas, Feijão, Plínio Junior e John Lennon, além de atletas da base. Quanto a jogadores que têm seu contrato encerrado em breve, a direção ainda vai se reunir para fazer avaliações. “Nosso pensamento em relação a alguns desses atletas é fazer um pré-contrato para o próximo campeonato. São atletas de qualidade, com quem gostaríamos de contar. Mas não podemos adiantar nada, nem nomes, porque isso depende da vontade dos jogadores”, expõe o dirigente.

Machado conta que a maior parte dos salários foi paga na última semana e só ficaram algumas pendências para esta, que serão acertadas. Ele frisou que a gestão desta diretoria, liderada pelo presidente Plínio Paulo Pereira e cujo mandato se encerra neste ano, foi focada na recuperação da saúde financeira do clube e que, ao seu fim, o legado será positivo. “Acredito que esteja sendo uma grande administração, quanto à forma como o presidente Plínio recebeu o clube e como nós vamos deixá-lo. Tenho certeza absoluta de que a próxima direção já encontrará um clube, ao menos, fora da UTI, o que é muito importante. Um clube que poderá, tranquilamente, continuando a administração saudável, voltar à Série A com planejamento”, finaliza.