Santo Ângelo dá adeus ao sonho do acesso com derrota humilhante em Gravataí

0
105

Irreconhecível e assistindo ao Cerâmica jogar, time foi goleado por 7 a 1

O Santo Ângelo chegou a Gravataí com a vantagem sobre o Cerâmica, conquistada após a vitória por 2 a 1 no primeiro jogo, na quinta-feira (8), no Estádio da Zona Sul. Porém, na bagagem, volta de lá não só com a eliminação, mas também com um resultado humilhante, que não será esquecido tão cedo. Na noite deste domingo (11), no estádio Antônio Vieira Ramos, pelas quartas de final do 2º turno da Divisão de Acesso, o time missioneiro, pode-se dizer, não entrou em campo e assistiu ao seu adversário desfilar no gramado, empilhar oportunidades. No fim, 7 a 1 para o Cerâmica, que agora enfrenta o União Frederiquense na semifinal.

Com 20 minutos de jogo, o Cerâmica, que precisava de apenas 1 a 0 para se classificar, já tinha um 3 a 0 a seu favor. O time da casa chegou ao primeiro gol logo a 1 minuto de jogo: após cruzamento, o goleiro Altieri tentou segurar a bola e acabou a soltando, e ela sobrou para o atacante Rafinha, que fez 1 a 0. Aos 9, a zaga do Cerâmica chutou em direção ao ataque, a zaga do Santo Ângelo falhou na cobertura e o atacante Danilo entrou livre pelo lado esquerdo, batendo cruzado e fazendo 2 a 0.

Perdido em campo, o Santo Ângelo levou o terceiro aos 20 minutos. O meia Maurinho cruzou da direita, Rafinha ganhou do lateral Rossi e chutou forte no canto direito de Altieri, fazendo 3 a 0. No final do primeiro tempo, aos 44, o Santo Ângelo descontou com Fábio Buda, convertendo pênalti sofrido por ele mesmo.

NO SEGUNDO TEMPO, CONTINUAÇÃO DA SUPERIORIDADE DO CERÂMICA
Na segunda etapa, o time missioneiro precisava fazer só mais um para se classificar. Mas, ainda atordoado e jogando de forma desencontrada, além de não fazer, acabou sofrendo quatro gols. Aos 8, após cobrança de falta, a defesa do Santo Ângelo falhou, não conseguiu afastar e o zagueiro Rodrigão desviou para o gol – 4 a 1. Logo depois, o atacante Danilo chutou forte de fora da área, no canto esquerdo de Altieri, e fez 5 a 1, aos 11. O atacante Franciel, após troca de passes, marcou o sexto do Cerâmica, aos 24, e, aos 30, o também atacante Cidinho fechou o placar, aproveitando rebote e definindo o 7 a 1.

“PODERIA TER SIDO AINDA MAIOR”, DIZ O TÉCNICO ELTON PETRY
O técnico Elton Petry avaliou que a equipe errou, sim, muito em campo, mas o comandante do time buscou não individualizar as responsabilidades e elogiou o trabalho, como um todo, feito pelo grupo. Para ele, agora, é refletir. “Não marcamos, não jogamos. Erramos muito, mas a responsabilidade é de todos, e eu me encaixo nisso, porque sou eu que escalo os jogadores. A caminhada terminou aqui. Não tem muito o que falar, a derrota foi merecida e poderia ter sido ainda maior. Mas esses jogadores, apesar da derrota, são guerreiros, e precisamos pedir desculpas para o torcedor pelo jogo de hoje, não pelo trabalho realizado”, analisou, em entrevista à Rádio Santo Ângelo.

O zagueiro Uilian Nicoletti reconheceu a péssima atuação do time. “Não podemos tirar o mérito do adversário, mas não rendemos o que vínhamos rendendo nos últimos jogos. Que sirva de lição. Todo dia é dia de aprendermos lições, e hoje aprendemos mais uma”, afirmou o zagueiro. Para o volante Juninho Ribeiro, um dos mais experientes do grupo, “não tem o que falar”. “Precisamos pedir desculpas para o torcedor, para a cidade de Santo Ângelo. Foi feio o que fizemos. Não tem explicação, não tem o que falar. Foi vergonhoso”, declarou. O Santo Ângelo foi eliminado nas quartas de final tendo se classificado em 3º no Grupo A no 2º turno, somando 14 pontos em sete jogos. Na classificação geral, dos 16 participantes, terminou na 9ª colocação, com 22 pontos em 15 partidas.

OUTROS JOGOS DE VOLTA DAS QUARTAS DE FINAL:
União Frederiquense 1 (6) x 1 (5) Ypiranga
Tupi 3 x 2 Brasil-FAR
Riograndense 1 (4) x 2 (5) Avenida

SEMIFINAL:
Cerâmica x União Frederiquense
Brasil-FAR x Avenida