Visibilidade do MMA incentiva a procura pela prática da modalidade

0
109

Instrutor e atleta Edmilson Souza explica origem e regras das “Artes Marciais Mistas”

Atualmente o MMA é uma das modalidades com maior visibilidade nos meios de comunicação, o que desperta a atenção de muitos para a sua prática. Para quem tem curiosidade em saber sua origem, regras e benefícios para a saúde, o Jornal das Missões traz as orientações do instrutor da MBJ Fight Team de Santo Ângelo, que também ministra aulas na Academia de Lutas Sul Brothers, Edmilson Souza. A reportagem é a última da série especial do JM sobre artes marciais, lutas ou modalidades esportivas de combate, e também traz explicações sobre o Boxe.

ORIGEM
Edmilson explica que o MMA, sigla para “Artes Marciais Mistas”, foi criado no Brasil nos anos 90 e surgiu de um desafio entre modalidades diferentes, no qual uma queria se sobressair a outra. Então, professores de diferentes modalidades marciais se desafiavam em lutas, cada um defendendo seu estilo. Aos poucos percebeu-se que estes desafios poderiam se transformar em uma nova modalidade e dessa forma surgiu o vale tudo, com regras simples onde se valia “quase tudo”, exceto dedo no olho, e golpes nas regiões genitais. Aos poucos as regras mudaram e evoluíram pra uma melhor preservação da integridade física dos atletas. Logo o evento foi comprado por um grupo de investidores americanos, que fundara o hoje conhecido UFC, que logo se tornaria o maior evento de MMA do mundo.

As lutas no MMA são divididas por categorias de peso e não é exigida nenhuma graduação para participar das competições da modalidade, apenas que o atleta/lutador esteja apto para participar. Normalmente a participação em um evento vem por meio de indicações de olheiros ou por meio do chamado sherdog, que é um currículo online de todos os atletas, disponível para qualquer promotor de evento. Nesta ferramenta, pode ser conferido o histórico de cada lutador.

PRÁTICA DO MMA
Para aqueles que além de acompanhar as competições, desejam começar a praticar a modalidade, o Instrutor Edmilson Souza dá as dicas, “falando em MMA para pessoas que não têm o desejo de lutar ou serem profissionais na área, trata-se de uma excelente opção para a prática de exercícios e queima de calorias. A modalidade preza pela didática, respeito ao próximo, além de elevar a autoestima, dando ao indivíduo que prática, boas noções de defesa pessoal”.

COMBATES
As lutas são divididas em rounds. Em combates que não valem disputas de cinturão, são três rounds de cinco minutos por um minuto de intervalo. Quando há um título (cinturão) em disputa, as lutas são programadas para cinco rounds de cinco minutos por um de intervalo. O instrutor destaca que quanto mais modalidades o lutador praticar, mais ele se torna completo, podendo usar de todas essas habilidades no momento da luta. No Brasil, as artes que predominam entre os lutadores são o Jiu Jitsu, Muay Thai e Boxe. “Isso varia um pouco de um país para o outro, mas sempre se treina técnicas tanto de solo com luta agarrada, quanto de luta em pé, o lutador deve estar preparado para lutar em qualquer situação”, completa.
As aulas de MMA têm a duração de uma hora e meia, no qual o contato físico é opcional do aluno. Uma luta de MMA pode acabar por pontos, por finalização, por nocaute, ou por interrupção médica.

BOXE
O Boxe, diferente de outras Artes Marciais, é conhecido como “a nobre arte”. Nesta modalidade, se faz o uso apenas dos punhos. A luta ocorre sempre em pé. Quando um lutador cai depois de levar um soco, abre-se uma contagem de 10 segundos, caso o lutador não levante neste tempo, é considerado o fim da luta. O número de rounds varia de luta pra luta, mas normalmente são rounds de três minutos, por um minuto de intervalo. No Boxe não existe graduação.