23 pessoas são flagradas sem máscara no Floripa e terão que pagar multa de R$ 150 cada uma

0
299
Três veículos foram recolhidos ao guincho. Foto: 7º RPMon/Divulgação

Uma operação conjunta entre a Brigada Militar (BM) e Poder Público Municipal (Vigilância Sanitária, Departamento Municipal de Trânsito e Defesa Civil), visando dispersar aglomerações na cidade de Santo Ângelo por conta do enfrentamento ao novo coronavírus, foi realizada na tarde de domingo (9), em, pelo menos, três pontos diferentes. As ações que iniciaram por volta das 16h e encerraram no início da noite foram realizadas no Centro, proximidades da Subestação da Eletrosul (Estrada para Buriti) e no bairro Residencial Reserva das Missões (conhecido como Floripa).

Segundo o comandante do 7º Regimento de Polícia Montada (RPMon), major Itamar Ferreira Walter, foram confeccionados 10 Autos de Infração de Trânsito, com 3 veículos recolhidos, 1 Termo Circunstanciado por posse de entorpecentes (substância semelhante a maconha), 2 Termos Circunstanciados pelo artigo 268 Código Penal – Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa (6 pessoas acusadas do crime do art. 268). As infrações são referente a licenciamento vencido, dirigir com equipamento obrigatório ineficiente/inoperante (descarga das motocicletas) e veículo com suspensão modificada. “Foi uma operação integrada, muito positiva e produtiva. Foi uma resposta conjunta dos órgãos públicos diante das aglomerações ocorridas aos finais de semana no bairro e motivo de muitas reclamações”, avalia o comandante.

23 PESSOAS MULTADAS POR NÃO USO DE MÁSCARA

Participaram da operação 14 policiais militares, 4 fiscais da Vigilância Sanitária, 2 da Defesa Civil e 4 Agentes de Trânsito (DMT). O coordenador da Defesa Civil, Adelar Cavalheiro, diz que foram flagradas 23 pessoas sem a máscara de proteção, que é obrigatória por decreto municipal e cada uma terá que pagar multa de R$ 150,00. A multa será gerada pelo Município e enviada nos próximos dias pelos Correios à residência dos infratores. Caso o boleto não for pago, o nome da pessoa será encaminhado ao Sistema de Proteção ao Crédito (SPC).

Operação contou com policiais militares, fiscais da Vigilância Sanitária e agentes da Defesa Civil e Departamento Municipal de Trânsito. Foto: 7º RPMon/Divulgação

Major esclarece que nas ações a revista pessoal é feita tanto em homens como em mulheres. “Nos chamou a atenção que um cidadão havia levado maconha para fumar e pediu para sua esposa guardar para ele pensando que ela não seria revistada, mas as mulheres também passam pela revista pessoal”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here