Chuvas amenizam efeitos do déficit hídrico nas lavouras de soja

0
108
Atualmente 37% das lavouras de soja estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 36% em floração e 27% na fase de enchimento de grãos. Foto: Arquivo/JM

As chuvas registradas nas últimas semanas em todas as regiões do Estado amenizaram os efeitos do déficit hídrico provocado pela estiagem, e as lavouras de soja apresentam sinais de retomada no desenvolvimento.

De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar na quinta-feira (30), em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), atualmente 37% das lavouras de soja estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 36% em floração e 27% na fase de enchimento de grãos.

Na regional de Santa Rosa, área de soja corresponde a 11,8% dos cultivos no Estado, as chuvas amenizaram os efeitos do estresse hídrico nas plantas. A cultura apresenta bom desenvolvimento vegetativo, sendo observado acúmulo de matéria seca na parte aérea das plantas e formação de bom dossel, que proporciona o fechamento de linhas na maior parte das lavouras semeadas em meados de novembro.

A maior parte dos cultivos (68%) encontra-se em floração e enchimento de grãos, fase em que a presença de umidade no solo é determinante para garantir uma boa produção e durante a qual as precipitações determinarão o aumento ou não de perdas na região.

Milho – As chuvas contribuíram para melhorar a situação das lavouras de milho no RS, que estão 14% em germinação e desenvolvimento vegetativo, 11% em floração, 24% em enchimento de grãos, 25% maduro e 26% do total já foram colhidas. Na regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí, que corresponde a 10% da área cultivada no Estado, as lavouras cultivadas em locais com irrigação apresentam produtividade inferior à estimada inicialmente, que é de 7.710 kg/ha.

O longo período de temperaturas acima de 30°C provocou redução de rendimento e senescência de folhas. Já nas áreas de sequeiro, há redução de produtividade e grãos pouco desenvolvidos. O rendimento médio das lavouras alcançou 122 sacos por hectare.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here