Ensino privado registra inadimplência 24,4% superior ao ano passado

0
256

Pesquisa realizada pelo Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS), sobre as consequências da pandemia do coronavírus para as instituições associadas, aponta que em maio a inadimplência chegou a 19,6% – aumento de 24,4% em relação ao ano passado.

Na grande maioria das escolas (75,5% das instituições) o percentual de alunos inadimplentes aumentou em relação ao mesmo período (maio) do ano passado.

A coleta de dados ocorreu entre os dias 29 de junho e 3 de julho. Participaram do estudo 163 escolas de Educação Básica e 11 instituições de Ensino Superior.

Níveis que mais sentiram os impactos da pandemia

Educação Infantil – 18,3%;

Anos Iniciais do Ensino Fundamental – 17%;

Anos Finais – 16,7%;

Ensino Médio – 15,3%;

*os percentuais são menores do que a média porque nem todas as instituições informaram o percentual de inadimplência em todos os níveis de ensino.
Cancelamento de matrículas

As escolas privadas registraram no mês de maio uma taxa 7,5% de cancelamento. Mais uma vez, a Educação Infantil foi o nível mais afetado, registrando um percentual de 16% de cancelamentos. Nos demais níveis de ensino, o índice não chega a 3%.

Para o presidente do Sinepe/RS, Bruno Eizerik, os números preocupam, mas são reflexo de uma crise que atinge a todos os setores. “Não estamos em uma bolha, sabemos em muitas famílias, os responsáveis pelo pagamento das mensalidades perderam seus empregos ou reduziram drasticamente suas rendas, e isso acaba refletindo na escola. Mesmo que as instituições tenham se esforçado para conceder descontos – na última pesquisa que realizamos em abril esses descontos já eram concedidos por mais de 80% das nossas instituições, ainda assim muitos pais não conseguiram seguir pagando a mensalidade”, destaca Eizerik.

Quadro funcional

De acordo com a pesquisa, 33,7% das instituições precisaram fazer demissões em maio ou junho. Comparado ao mês anterior, esse índice subiu 8,7%, quando o percentual de instituições que fizeram cortes em seu quadro foi de 25%.

Na maioria das instituições, o percentual de professores demitidos representa até 5% do total de docentes e funcionários mais de 5% do total.

Ensino Superior

No Ensino Superior, a taxa média de inadimplência é de 23%, estável em relação ao registrado no mês de abril. Em todas as instituições, o percentual de alunos inadimplentes é maior em comparação ao mesmo período de 2019, com uma média de 34,6% de aumento.

Em relação aos cancelamentos, a taxa média ficou em 13,8%, três vezes maior do que a registrada em abril.

Entre as instituições de Ensino Superior, quase metade (45,45%) registraram demissões – todas elas demitiram funcionários e pelo menos 20% tiveram que desligar professores.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here