Estudantes podem se inscrever no Sisu a partir desta terça-feira

0
234

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre amanhã (21) o calendário dos processos seletivos federais que usam o Enem como critério de seleção. Neste semestre, o Sisu vai ofertar 237 mil vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. O prazo para se inscrever vai até sexta-feira (24).

Na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus de Cerro Largo 262 vagas em sete cursos de graduação. O Instituto Federal Farroupilha (IFFar), campus SantoÂngelo, não terá vagas pelo Sisu. Neste ano foram ofertadas vagas somente em seleção própria com uso de notas do Enem.

Confira as vagas na UFFS:

Administração – Bacharelado/Matutino 42
Agronomia – Bacharelado/Integral 36
Ciências Biológicas – Licenciatura/Integral 56
Engenharia Ambiental e Sanitária – Bacharelado/Integral 44
Física – Licenciatura/Noturno 30
Letras: Português e Espanhol – Licenciatura/Noturno 25
Química – Licenciatura/Noturno 29

Para participar do Sisu, é preciso ter feito o Enem 2019 e ter tirado nota acima de zero na prova de redação. Na hora da inscrição no processo seletivo é preciso informar o número de inscrição do Enem e a senha atual cadastrada na Página do Participante.

A nota do Enem está disponível desde sexta-feira (17) tanto no aplicativo, quanto na própria Página do Participante. É preciso informar o CPF e a senha cadastrada na hora da inscrição. Caso o candidato tenha esquecido a senha, pelo próprio sistema é possível recuperá-la.

É essa senha que deve ser usada na hora da inscrição no Sisu. O número de inscrição, que é solicitado também para participar da seleção, está disponível para cada estudante na Página do Participante.

Falha na correção das provas do Enem

Sábado, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que identificou quatro casos de inconsistências na correção da segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que teve os resultados divulgados na sexta-feira.

As explicações vieram após alunos relatarem nas redes sociais terem sido surpreendidos com notas baixas. Pelo twitter, o ministro da Educação, Abraham Weintraub pediu desculpas, disse que o problema será resolvido até esta segunda-feira e afirmou que ninguém será prejudicado.

O Inep atribuiu o erro de correção a gráfica responsável pela impressão das provas. O instituto estima que cerca de 1% dos 3,9 milhões estudantes que fizeram a prova pode ser atingido, o que representa 39 mil alunos.

Quem tiver dúvidas pode procurar o Inep por e-mail [email protected]

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here