Justiça dá parte do Estádio da Zona Sul como pagamento de dívida trabalhista

0
842
Foto: Arquivo

O espaço que corresponde as arquibancadas e parte do gramado do lado Norte do Estádio (trecho da Avenida Rio Grande do Sul) foi dado como pagamento de dívida trabalhista para 12 ex-jogadores do clube, que movem ação trabalhista contra a SER Santo Ângelo.

De acordo com a vara do trabalho em Santo Ângelo, há, porém, vários processos em trâmite contra o clube, ao todo, são 50 ações do tipo, “com crédito em favor dos exequentes (ex-jogadores) no importe aproximado de R$ 1 milhão.”

Para arcar com o valor, a Justiça identificou que o único imóvel possível de penhora, que seria a parte Norte do Estádio da Zona Sul (que são as arquibancadas e parte do gramado do lado da Avenida Rio Grande do Sul). Este espaço estaria avaliado em R$ 800 mil.

Ainda, de acordo com a Justiça, houve tentativa de veda (em leilão), mas sem interessados na compra. Agora, foi determinado que imóvel seja usado como pagamento da dívida com os ex-atletas. No entanto, com o valor de R$ 400 mil.

“Salientamos que a atual administração do município chegou a fazer proposta para aquisição da área, mas o valor oferecido não foi aceito pelos exequentes (credores). A partir de agora o processo prosseguirá na fase de execução com penhora de créditos que a executada (SER) porventura vier a receber, para satisfação do saldo remanescente”, diz nota da Vara do Trabalho.

Estádio Zona Sul – Parte do Estádio é da Prefeitura, que está em comodato a SER Santo Ângelo, e outra parte foi construída pelo clube – que é justamente a área Norte do local. São da Prefeitura as áreas que compreendem as duas arquibancadas (Leste e Oeste) e o acesso, na bilheteria.

Jogadores – Conforme a Justiça do Trabalho são 50 ações trabalhistas contra o clube, porém, 12 ex-atletas aceitaram receber a área como pagamento. São eles: Márcio Almeida da Silva; Rafael Altieri; Rodrigo Ramos Silveira; Ismael da Silva Francisco Tatto; Ivo André de Almeida; Roberto da Silva Bressa; Diego Henrique Siqueira; Sérgio Luís de Lima Ribeiro; Lucas Santos Lima; Rômulo Silva Santos; Rudimar Alves dos Santos e João Lourenço Pereira Reis Junior.

O que diz a SER Santo Ângelo – O presidente do Clube, Everaldo Paz Maciel disse, ainda nesta quarta-feira (18) que buscaria assessoria jurídica. “A diretoria ainda não recebeu notificação sobre a situação”, disse.

Somente depois desta notificação, de análise do advogado e de reunião com toda diretoria e Conselho, Everaldo diz que clube terá um posicionamento.

Atualização: Na manhã desta quinta-feira (19), Everaldo e o advogado Nelson Winckler Júnior estiveram no Jornal das Missões para esclarecer a situação. Segundo Everaldo, esta vem se “arrastando há mais de 15 anos, fruto de administrações passadas”. Ele ainda lamenta a decisão, uma vez que o clube se organizava para as competições de 2020. “O estádio foi construído com o suor do torcedor e nós vamos lutar para manter ele”, acrescentou.

Jogos – Até o momento, segundo Everaldo, os jogos (do Citadino) estão mantidos. “Ainda não recebemos notificação judicial, então os jogos não serão suspensos”.

 

*A versão impressa do Jornal das Missões desta quinta-feira (19) trouxe como título: Justiça determina penhora de parte do Estádio da Zona Sul para quitar dívida trabalhista, porém, a penhora ocorreu em março de 2015. De acordo com a Vara do Trabalho de Santo Ângelo, o presidente daquela gestão foi intimado, o que ocorreu, ainda, em relação a todos os demais atos dos processos em trâmite na unidade. A parte Norte do Estádio foi dada como pagamento da dívida trabalhista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here