Lembranças do esporte: “O que mais me marcou foi sair do amadorismo para ser profissional”

0
189
“Essa foi esse ano em Guaporé”, explica Luciana. Fotos: Arquivo Pessoal

Com as competições esportivas paralisadas em função da Pandemia de Coronavírus, o Jornal das Missões decidiu relembrar momentos marcantes na trajetória dos atletas santo-angelenses.

Começando com o pé direito, Luciana da Luz. Referência de Santo Ângelo quando de fala em corrida de rua. Lu começou a correr lá no início dos anos 2000 – de lá para cá, coleciona uma nada modesta sala de troféus.

“O que mais me marcou deu ter saído do amadorismo para ser profissional”, conta ela, que decidiu investir no esporte já na vida adulta. “Eu não sabia se ia dar certo parar de trabalha e virar uma atleta profissional”, lembra.

Na foto acima, em Porto Alegre, Lu conseguiu subir ao pódio – foi uma das primeiras corridas oficiais que participou. “Essa mostra que deu certo ir correr e parar de trabalhar. Foi em 2005, 10km em 36 minutos 40 segundos”.

Desejo para o Futuro do esporte

Preparando-se para a Mizuno UpHill – maratona que percorre a Serra do Rio do Rastro/SC – Lu teve de interromper os treinos por dois motivos: primeiro a incerteza de realização, em função da pandemia, e segundo, uma tendinite no joelho.

Porém, para os próximos anos, deseja mais conscientização, seja dos atletas, poder público e organizadores de eventos. “Espero que tenham cuidado na elaboração de competições onde possa haver denominador comum entre ambos, por exemplo, datas e valores. Do poder público penso que se poderia ter mais estímulo para pessoas praticarem esporte – já que é comprovado que é indispensável na qualidade de vida. De organizadores, penso que não deveriam acumular muitas competições e cobrar um valor mais acessível de quem se inscreve”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here