Mochila deixada no local foi fundamental para esclarecer o crime, diz delegado

0
233

O delegado Rogério Junges afirma que uma mochila deixada pelo autor no local da morte de João Mário foi decisiva para a sua identificação. Junges ainda salienta que mesmo com a prisão do jovem de 22 anos apontado como autor do latrocínio, os trabalhos de investigação seguem para encontrar a motocicleta Yamaha 150 placas IWJ-6539, de cor laranja, o celular e carteira da vítima. “Diligências sendo realizadas e exames periciais ainda a precisam ser solicitados. Alguns foram feitos na semana passada, com indicação dos peritos que estiveram no local do crime”, disse o delegado em entrevista a Super Rádio Santo Ângelo.

A mochila deixada no local tinha vestimentas e outros utensílios, que inicialmente acredita-se serem da vítima e depois verificou-se que é do autor do crime. Junges salienta que o suspeito identificado já no dia em que o corpo foi encontrado. “O local do crime foi corretamente isolado pelos PMs e pelos plantonistas da DPPA. A leitura da cena do crime foi fundamental. Ali já tivemos uma visão das circunstâncias da morte, o que foi confirmado na necropsia. Com o suspeito identificado, pedimos a prisão e fomos rapidamente atendidos pelo MP e Justiça. Atuação conjunta entre PM e Polícia Civil monitorou o homem, que foi preso em Cerro Largo”. O delegado acredita que ele tenha dado sumiço na moto nos pertences da vítima em Cerro Largo.

Junges comenta ainda que no interrogatório, o preso não quis falar. Mostrou ser uma pessoa extremamente fria, segundo o delegado, o que não supreendeu aos policiais devido a violência usada contra a vítima. O rapaz está no Presídio Regional de Santo Ângelo. Ele possui diversos antecedentes, incluido roubos, e já cumpriu medida socioeducativa no Case.

O crime teria sido cometido por volta das 13 horas da terça-feira (24) e o corpo foi localizado na tarde seguinte. Foi o 7º homicídio do ano em Santo Ângelo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here