Profissionais falam sobre o desenvolvimento infantil em meio a pandemia

0
221
Micheli Weirich, neuropsicopedagogae Fábio Berton, educador físico

O isolamento social, por conta da pandemia, pegou todos de surpresa, fazendo com que todos se adequassem rápido a uma nova realidade, inclusive as crianças. No entanto, pais e responsáveis encontram-se de mãos amarradas diante dessa nova configuração social, já que as crianças estão cada vez mais agitadas com seu tempo ocioso, decorrente da quebra repentina na rotina.

Segundo a neuropsicopedagoga, Micheli Weirich, e o educador físico Fábio Berton, da Integrar Espaço Multiterapêutico (rua Florêncio de Abreu, 1510, Santo Ângelo) é indispensável analisar o funcionamento do sistema nervoso para entender essa desorganização na vida dos pequenos.

“O sistema nervoso coordena todos os movimentos, pensamentos e sensações, ou seja, é responsável por perceber e identificar as condições ambientais externas, as condições reinantes dentro do próprio corpo e, portanto, elaborar respostas que se adaptem a essas condições”, destacam.

NEUROTRANSMISSORES FUNDAMENTAIS
Nessa fisiologia, eles destacam que vale identificar alguns neurotransmissores fundamentais, tais como: serotonina (regula sensibilidade, funções intelectuais, qualidade do sono e alterações no humor) e dopamina (ativa os circuitos de recompensa no cérebro).

“Todavia, ao se deparar com uma conjuntura diferente daquela vivida, o indivíduo pode apresentar alterações nesses neurotransmissores. Dessa forma, é perfeitamente natural que as crianças fiquem entediadas e sintam falta do convívio social, visto que seu cérebro ainda não está maduro e elas não sabem a forma adequada de expressar sua angustias e frustrações”, frisa Micheli.

MECANISMOS ESTIMULANTES
Para ajudar a manter uma vida saudável e ativa os profissionais salientam que é preciso encontrar mecanismos que sejam agradáveis e estimulantes para que as crianças sintam prazer em realizá-los. “Atividade física ajuda a liberar o estresse, aumenta a disposição, fortalece o sistema imunológico e o cérebro, capacitando os neurônios para as atividades do dia a dia, a fim de tornar o isolamento mais agradável”, acrescenta o educador físico Fábio.

DICAS IMPORTANTES
Para auxiliar as famílias e suas crianças diante dessa situação, a Equipe Integrar traz algumas dicas:
1 Estabeleça regras e limites em relação ao uso de dispositivos eletrônicos, para não existir prejuízos no futuro.

2 Tire um tempo para brincar com seu filho, resgate atividades antigas como o jogo das Cinco Marias, excelente atividade, que desenvolve raciocínio, concentração, percepção visual e equilíbrio.

3 Brinque com massinha de modelar, com o intuito de desenvolver habilidades táteis, que são responsáveis pelas recepções sensoriais.

A neuropsicopedagoga e o educador físico atentam que o núcleo familiar precisa atentar-se para a estimulação neurológica das crianças, “para não haver estagnação no processo de desenvolvimento neuro-cognitivo, assim como controlar a ansiedade, atenuando os prejuízos da saúde mental”, apontam.

Eles concluem citando uma frase do físico Albert Eisntein: “Uma mente que se abre a uma nova ideia, nunca voltará ao seu tamanho original”. Para mais informações os contatos são: Micheli Weirich – Neuropsicopedagoga – (55) 999001343 e Fábio Berton – Educador Físico – (55) 999781746.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here