Santo Ângelo não teve nenhum caso de feminicídio registrado em 2020

0
107
Delegada Elaine Maria da Silva acredita que redução é resultado do fortalecimento da rede de proteção à mulher. Arquivo/JM

De acordo com a titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), delegada Elaine Maria da Silva, nos últimos dez anos foram nove feminicídios, sendo o último em julho de 2019, “em 2020 não tivemos nenhum registro”, afirma ela. Portanto, de um ano para outro, a queda foi de 100% nos números de mortes de mulheres em decorrência do gênero.

No âmbito estadual, de 2019 para 2020, a queda foi de 21,6%. Passou de 97 para 76 registros. O maior número de mortes de mulheres foi em 2018, 116 foram assassinadas.

Para a delegada, essa diminuição é resultado do fortalecimento da rede de proteção à mulher, “essa queda se atribui ao trabalho de todas as instituições que compõem rede de enfrentamento de violência praticada contra a mulher”, reforça.

OCORRÊNCIAS POLICIAIS

Em 2019, a Polícia Civil registrou 1.186 ocorrências e 2020 foram 1.142 – apesar de haver uma pequena redução, a média de casos por mês segue a tendência do ano anterior, de 95 a 98 registros mensais. “Esse número permanece em uma média que se verifica nos últimos anos”, afirma a delegada.

No caso de Inquérito Policial (procedimento investigativo), ainda, ao longo do ano passado, foram remetidos 670 relacionados à violência doméstica e familiar.

SALA DAS MARGARIDAS

A iniciativa de implementação das Salas das Margaridas começou em 2019, em Porto Alegre. A ideia é oferecer um espaço reservado para que a mulher – vítima de violência possa fazer a denúncia.

“É um espaço criado junto as DPPAs para oferecer um atendimento diferenciado para as mulheres vítimas de violência doméstica, proporcionando um ambiente reservado e de acolhimento humanizado”, detalha Elaine.

As salas não ficam especificamente na Delegacia da Mulher, mas nas de Primeiro Atendimento. “Existe um projeto para a instalação de uma Sala das Margaridas na DPPA e, futuramente na Deam”, detalha.

Nas Salas, os atendimentos são feitos pelos próprios policiais no momento do registro da ocorrência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here