‘Traficantes presos na região eram os mais violentos’, afirma delegado titular da Draco

0
123
Delegado de polícia Heleno dos Santos, titular da Draco de São Luiz Gonzaga | Foto: Polícia Civil/Divulgação

Na tarde de terça-feira (11), agentes do Serviço de Investigações da Delegacia de Polícia (DP) de Santo Ângelo, em trabalho conjunto com o Serviço de Investigações da Delegacia de Polícia de Porto Xavier, realizaram buscas e acabaram realizando a prisão preventiva de um homem de 30 anos, no bairro Missões, em Santo Ângelo/RS.

LIGAÇÃO COM GRUPO CRIMINOSO
O homem é investigado por integrar um grupo criminoso que saiu de Santo Ângelo e foi até Porto Xavier no dia 21 de janeiro de 2020 para executar traficantes rivais e para cobrar dívidas.
O grupo estava armado e tripulando um veículo clonado. Parte do grupo foi preso na ocasião, sendo que alguns integrantes acabaram fugindo para um mato, logrando consumar a fuga.

Com as investigações que se seguiram, os foragidos acabaram sendo identificados, e nessa terça-feira, após receberem informações sobre o paradeiro de um dos foragidos, policiais civis de Santo Ângelo, comandados pelo delegado Rogério Junges, monitoraram o local e, assim que confirmada a sua identidade, efetivaram a sua prisão.

INVESTIGAÇÃO POR VÁRIOS CRIMES
O criminoso está sendo investigado pelos delitos de homicídio qualificado tentado, organização criminosa, receptação dolosa e porte ilegal de arma de fogo. O preso foi conduzido ao Presídio Regional de Santo Ângelo.

CONCORRÊNCIA PELO TRÁFICO
O titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de São Luiz Gonzaga, delegado Heleno dos Santos, reafirma que na região das Missões, há a presença de facções criminosas, mas que também existem outros grupos menores disputando a “concorrência“ pelo tráfico. “A prisão de terça-feira não encerra a disputa. Não é tão simples assim. Há outros traficantes a serem presos. Os que foram presos eram os mais violentos, pois executavam e surravam os rivais e devedores”, diz o delegado considerando que os trabalhos de investigação da da Polícia Civil prosseguem.

GRUPOS E FACÇÕES MANTEM RELAÇÕES
Conforme Santos, todos esses grupos e facções mantém algum tipo de relação entre si. “Às vezes colaborando entre si e outras vezes disputando espaço. O fato de integrarem grupos organizados agrava a punição, pois enquadra os seus integrantes na lei do crime organizado, com pena que pode chegar a 8 anos de reclusão, além das penas aplicáveis ao tráfico de drogas, que pode alcançar 15 anos de reclusão”, finaliza.

Quinze foram presos na semana passada

Na semana passada, em Porto Xavier, a Polícia Civil através da Operação Fronteira, no combate ao tráfico de drogas e associação ao tráfico, cumpriu 14 mandados de busca e apreensão e prendeu 15 pessoas sendo 12 preventivamente e três em flagrante por tráfico de entorpecentes.

Durante a ação, foram localizadas quantidade de drogas suficientes para o preparo de 500 porções de cocaína e 1,3 mil de maconha. Também foram apreendidos veículos, dinheiro e simulacro de arma de fogo. Participaram da operação 80 policiais civis, 12 agentes federais e 26 policiais militares.

A operação contou com o apoio do efetivo da Operação Fronteira, da Brigada Militar, da Polícia Rodoviária Federal e de policiais civis das regiões de Santo Ângelo e Santa Rosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here