1º B Com treina 283 novos militares para o combate

0
90

Recrutas, alunos e sargentos temporários estão em instrução básica no Campo Militar

O 1º Batalhão de Comunicações (B Com) de Santo Ângelo está preparando 283 novos militares para atuarem em situações de combate, como por exemplo, numa eventual guerra.

Desde segunda-feira (6), recrutas e alunos do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR), em serviço militar obrigatório, e alunos do Curso de Formação de Sargentos Temporários (CFST) estão participando da Instrução Individual Básica, no Campo de Instrução de Santo Ângelo (Cisa).

ENTREGA DA BOINA PRETA

A preparação termina nesta quinta-feira (9), quando os militares retornam a pé numa marcha de 12 quilômetros até o quartel do Batalhão e no sábado (11) serão coroados com a Boina Preta, em solenidade que contará com a participação de familiares e amigos.

No Campo de Instrução, de 400 hectares de terra e floresta, os chamados instruendos foram divididos em cinco grupamentos que participam de diferentes oficinas.

OFICINAS DE INSTRUÇÃO

Segundo o comandante da Companhia de Instrução, Capitão Antônio Luiz Lucena, o treinamento acontece das 8h à meia-noite, mas o militar é preparado para atuar em qualquer momento também da madrugada. Durante o dia as oficinas são de orientação através da bússola, higiene pessoal e primeiros socorros – para que um militar possa socorrer o outro que estiver com algum ferimento –, progressão diurna (para avançar em obstáculos para vencer o inimigo) e pistas de cordas (ultrapassar obstáculos, tais como rios).

À noite, as oficinas são de orientação e progressão e silenciamento de sentinela (onde se aprende a vencer o inimigo sem chamar a atenção, emboscando-o de surpresa).

Para manter o rendimento do militar no treinamento, as refeições são servidas quatro vezes ao dia: café, almoço, janta e ceia (a ceia é geralmente algum alimento para aquecer o corpo.

São utilizados materiais que garantem a segurança dos instruendos, como nas travessias de rio em pista de cordas. Além disso, uma equipe médica acompanha o Batalhão durante todo o treinamento, prestando atendimento desde uma medicação para dor de cabeça até o encaminhamento para a unidade hospitalar. “A segurança é prioridade para todos os militares que estão no campo de instrução, já que o fato de preparar para a guerra, todas as atividades realizadas aqui envolvem algum tipo de risco. Acima de tudo, o Exército é pedagógico”, diz.

ESTUDO DAS COMUNICAÇÕES

No Campo de Instrução o inimigo é o próprio aluno. “O Campo é o ensinamento básico que prepara um soldado para a guerra. Daqui a três semanas ele já começa a qualificar o aprendizado se envolvendo no estudo das comunicações. O programa geral de instrução é desenvolvido pelo Comando de Operações Terrestres, em Brasília, e seguido por todos os quartéis do Brasil. O treinamento é rigoroso e envolve preparo físico, superação, vontade e decisão e por isso o Exército é uma escola de vida”, destaca o comandante do 1º B Com, Coronel Luis Carlos Damasceno.

TECNOLOGIA A SERVIÇO DO TREINAMENTO

A tecnologia é uma ferramenta usada para preparar o treinamento. Com acesso à internet e rede telefônica através de antenas de comunicações, os oficiais podem acessar em tempo real a previsão do tempo, por exemplo, e tomar medidas adequadas para a condução da instrução de maneira eficaz. “Desde a guerra do Paraguai até hoje, o Brasil resolveu todos os seus conflitos externos por vias diplomáticas ou políticas, quando não foi necessário o uso do campo militar. Você não prepara um Exército em um estalar de dedos e portanto um major ou um tenente não são preparados em um ano. A tropa precisa estar sempre em prontidão”, salienta Damasceno.