Aeroporto Regional de Santo Ângelo é confirmado no programa de expansão da aviação regional no Brasil

0
106

No Rio Grande do Sul serão 15 municípios beneficiados . Santo Ângelo já está com a pista homologada

O Programa Nacional de Aviação Civil Regional vai qualificar 270 aeroportos em todo o Brasil até 2018. Aqui no Estado, o investimento ultrapassa os R$ 300 milhões, contemplando 15 municípios, entre eles Santo Ângelo. A informação foi detalhada nesta semana pelo ministro-chefe da Secretaria Nacional da Aviação Civil, Eliseu Padilha, em audiência na Assembleia Legislativa.

Um dos interlocutores da reunião com o ministro, o deputado estadual Eduardo Loureiro (PDT), comemorou a confirmação de que a pista do aeroporto santo-angelense está entre as cinco com processo já homologado para funcionar como referência regional em transporte aéreo. Outras quatro são Passo Fundo, São Borja, Santa Rosa e Rio Grande. Os aeroportos de Uruguaiana, Santa Vitória do Palmar, Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Pelotas, Canela, Erechim, Caxias do Sul, Bagé e Alegrete estão com situações mais atrasadas, faltando principalmente estudo de viabilidade técnica para que então se iniciem as melhorias nas pistas e nos terminais de passageiros.

O ministro Padilha fala com entusiasmo sobre o programa. “A qualidade dos serviços e a infraestrutura aeroviária passarão por grandes melhorias, com desenvolvimento da rede de aviação regional e ampliação da oferta à população”, destaca. Os investimentos, financiados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em parceria com estados e municípios, pretendem alterar a realidade atual da aviação civil regional no Brasil, caracterizada hoje por escassez de rotas e preços até 31% mais caros do que voos entre capitais.

Retomada das obras deve ocorrer em breve
Em sua intervenção durante a audiência que lotou o plenarinho da Assembleia, o deputado Loureiro antecipou que as obras de reforma no aeroporto santo angelense devem reiniciar em breve “Estamos em um esforço político muito grande em torno disso. A Secretaria dos Transportes do Estado está empenhada em buscar um ajuste com a empresa responsável pelos serviços, e portanto temos expectativa de que os trabalhos recomecem logo”, almeja o parlamentar.

As obras foram suspensas no final do ano passado, quando o Departamento Aeroviário do Estado apontou inconformidades nos materiais utilizados na pavimentação. Quando pronto, o Aeoroporto de Santo Ângelo vai operar com um terminal de passageiros de 1.210 metros quadrados, um novo pátio para aeronaves e novas sinalizações e sistemas contra incêndio. A pista terá condições de receber aviões maiores, tipo Airbus, com até 72 passageiros.

O QUE DIZ O DAP
Em contato com a diretora do Departamento Aeroportuário Estadual (DAP), engenheira Lígia Villagran Barreto Alves, as obras foram paralisadas para que houvessem ajustes no projeto. "Assim que realizados os ajustes, o projeto será submetido à Secretaria de Aviação Civil (SAC), para que, assim que aprovado, a obra possa reiniciar", explica.

A previsão, conforme a engenheira, é que a pista do Aeroporto Regional de Santo Ângelo seja concluída em quatro meses após as obras serem reiniciadas.

Empresa Azul demonstra interesse em atuar em Santo Ângelo
O diretor institucional da Azul Linhas Aéreas, Ronaldo da Silva Veras esteve em audiência com o ministro Eliseu Padilha na comissão especial da Assembleia que luta pela aviação civil e reuniu-se com o deputado Eduardo Loureiro, confirmando o interesse da empresa em operar uma linha a partir do Aeroporto de Santo Ângelo.

Para viabilizar a retomada dos voos regulares no município e região, no entanto, é necessário avançar nas discussões.
Loureiro enfatiza que os projetos de melhorias nos aeroportos é o primeiro passo para ampliar a aviação no interior do Estado, mas que viabilidade das empresas aéreas dependem também das políticas de incentivo ao setor, principalmente na tributação sobre combustível incidentes às empresas aéreas.