Agências bancárias de Santo Ângelo seguem em greve

0
109

De acordo com o Sindicato dos Bancários da Capital das Missões adesão à greve é de 85% A greve dos bancários deflagrada desde terça-feira (6) em todo País teve ampla adesão dos funcionários das agências do Estado e de Santo Ângelo. Segundo informações da Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul, 767 estabelecimentos não abriram devido à paralisação em todo o Rio Grande do Sul. Em Santo Ângelo, todas as agências bancárias estão com greve deflagrada.
Em contato com as agências do município, foi confirmada a informação de que apenas o autoatendimento (caixa eletrônico) opera normalmente. Todos os outros atendimentos estão suspensos por tempo indeterminado.
De acordo com o diretor do Sindicato dos Bancários de Santo Ângelo, Almiro Copetti, a adesão à greve na Capital das Missões é de 85%. “Nem a gente esperava que o movimento seria tão grande. A classe está unida para ir contra a proposta que recebemos. Esperamos que nos próximos dias aconteça alguma negociação com os banqueiros para que a situação seja definida”, explica.

REIVINDICAÇÃO DOS BANCÁRIOS 
Os bancários rejeitam a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para a categoria em todo o País, que prevê reajuste de 5,5%, piso de R$ 1.321,26 para portaria, R$ 1.895,25 para escritório e R$ 2.560,23 para caixa e tesouraria, e plano de Plano de Lucros e Resultados (PLR) de 90% do salário mais R$ 1.939,08, entre outros benefícios.
O Comando Nacional dos Bancários apresentou contraproposta pedindo aumento de 16% nos salários, PLR de três salários mais R$ 7.246,82 e piso de R$ 3.299,66, além de outros benefícios, planos de cargos, carreiras e salários a todos os trabalhadores e o fim de uma suposta discriminação a mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência.
 
PAGAMENTO DE CONTAS
A paralisação dos bancários não tira do consumidor a obrigação de pagar as contas em dia. Uma alternativa é recorrer às agências lotéricas. Nelas, é possível pagar contas de concessionárias públicas, como luz, água e telefone, vencidas ou não.

Os caixas eletrônicos também são úteis para a realização de pagamentos em geral e transferências de recursos.