Apesar da pandemia, expectativa é de vendas significativas no Dia das Crianças

0
126
Empresas dos setores de comércio e serviço acreditam que as famílias devem buscar oferecer às crianças, nesse dia, uma experiência que contribua para aliviar o estresse causado pela pandemia. Foto: reprodução

Apesar de 2020 ter uma expectativa de redução nas vendas-4,8%, em relação a 2019, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)-, Gisele Bohn da Costa, proprietária da Livraria Útil, acredita que o ano possa ter um leve aumento nas vendas para o Dia das Crianças.

O motivo, segunda aponta a empresária, seria justamente o maior tempo que têm passado em casa. “Como não estão tendo aulas presenciais, não tem aquele momento de brincadeiras com os colegas, têm ficado mais tempo em casa, então, acredito que os pais acabam procurando mais alternativas para entreter os filhos, optando em dar um brinquedo”, pondera.

Em oposição a CNC, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) mostra que, com o isolamento social, cresceu a procura por jogos de tabuleiros, quebra-cabeças e outros brinquedos. A estimativa dos fabricantes, em 2020, é manter um ritmo de crescimento de pelo menos 3% em relação ao ano passado, quando a alta registrada foi de 6%.

Gisele Bohn da Costa investe na variedade de produtos. Foto: Daniele Angnes/JM

Ainda, como aponta Gisele, neste ano, a procura por opções de presentes já começou no início da semana, diferentemente de 2019, que pais deixaram para a véspera e antevéspera a escolha.

Variedade

Para conseguir atender os consumidores, lojistas investem na variedade de produtos. “Mais que dobramos a nossa gama de produtos”, destaca Gisele. As opções, na Livraria vão desde os tradicionais brinquedos, jogos de tabuleiro, até livros educativos e bonecas reborn.

O Dia das Crianças é a terceira mais importante do calendário do varejo nacional, atrás de Natal e Dia das Mães, deve movimentar R$ 6,2 bilhões neste ano.

Redes sociais 

No contexto deste ano, as vendas na loja física devem se aliar ao on-line. Em 2019, por exemplo, o varejo on-line faturou R$ 3 bilhões com vendas apenas para o dia das crianças. Este número representa um aumento de 24% em relação ao ano anterior.
Para Gisele, o Instagram, Facebook e WhatsApp, têm sido aliados na hora da venda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here