Asfalto da Buriti aguarda fiscalização do BNDES para início das obras

0
108

Em visita a Santo Ângelo para participar do Fórum Macrorregional da região das Missões, na quinta-feira (20), o secretário estadual de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, esteve no município reiterando algumas ações realizadas nos quatro anos de governo Tarso Genro. Sobre a região, Motta destacou o asfaltamento da estrada que liga o município de Santo Ângelo ao distrito de Buriti, um dos maiores anseios da população santo-angelense. Segundo o secretário, essa obra só não teve andamento antes porque um convênio havia sido assinado pelo governo anterior e não haviam recursos para que o projeto fosse executado.

Segundo Motta, foram selecionados no início do governo em torno de 16 convênios antigos do Daer, nos quais estavam inclusos o de Buriti. O valor da obra era de mais de R$ 2,8 milhões, recurso que a secretaria conseguiu viabilizar por meio de um empréstimo com o BNDES. “Estive revisando nosso empréstimo com o banco e está garantido e reservado o dinheiro para a execução da obra. O que falta é darmos a ordem, o que só pode ocorrer após o parecer do órgão de controle do banco que realiza uma fiscalização antes do início das obras”, diz. A empresa, conforme o secretário, também já está contratada para realizar a obra.

CERCA DE 30 ACESSOS ENTREGUES
“A principal diretriz que o governador Tarso Genro determinou aos seus secretários foi: ‘Não assumam nenhuma nova responsabilidade se não tivermos recursos’. Assumimos o governo com 250 convênios assinados, alimentando uma ilusão de que essas obras seriam realizadas, mas não era o que de fato aconteceria, pois não se tinha recursos”, conta. Motta destacou ainda que o governo de Tarso foi o primeiro a montar um plano de enfrentamento às dificuldades de acesso.

“São aproximadamente 30 acessos que vamos cumprir dos 105 que existem. Deixaremos mais 30 contratados antes de entregar o governo”, frisa.

ERS-344
A recuperação asfáltica do trecho da ERS-344 que liga os municípios de Santo Ângelo, Entre-Ijuís e Santa Rosa também está confirmada, segundo o secretário de Planejamento. “Esses recursos já estão internalizados no Banco do Brasil, no valor de 1 bilhão de dólares. Nesse programa são quase R$ 400 milhões para recuperação de 2 mil quilômetros de um total de 7 mil da estrutura e da malha própria do Estado, incluindo a 344”, diz.

Essa, de acordo com Motta, é uma obra que já está licitada em modalidade de pregão e tem como vencedora a empresa Carpenedo, de Santa Rosa. “Nossa expectativa é de que seja anunciada nos próximos dias. Esse empréstimo foi feito no primeiro ano, quando houve a crise do Daer, por isso, infelizmente, atrasou, mas vai sair”, enfatiza.