Aspa Bicho Amigo atua no amparo a animais abandonados

0
123

Animais recebem atendimento veterinário e são colocados para adoção

 Trabalho voluntário, unicamente por amor. È dessa forma que atua a Associação Santo-angelense de Proteção aos Animais (Aspa) – Bicho Amigo, uma Organização Não Governamental (ONG) que vem tentando suprir a demanda de animais abandonados no município. A Aspa Bicho Amigo é formada por um grupo de pessoas que atuam com foco nos cuidados de animais abandonados, que encontram-se em situação de risco, sofrimento extremo ou vítimas de maus tratos. Os animais resgatados pelos voluntários recebem atendimento veterinário, são medicados, vermifugados, castrados e disponibilizados para adoção.

Desde 2013, após perder sua sede própria, a entidade trabalha com lares temporários para os animais. Funciona da seguinte forma: não existe canil, as pessoas abrigam em suas casas a quantidade de cachorros que conseguem acolher. Aqueles que estão dispostos a auxiliar dessa forma precisam apenas oferecer um espaço adequado. O animal continua pertencendo à Aspa, e permanece sob os cuidados da entidade.

Conforme a presidente, Nadir Vier, “a pessoa que se disponibilizar tem que saber que vai ficar com o animal até ele ser adotado. Muitas vezes é rápido, tem animais por exemplo que ficaram 15 dias e outros que ficam mais tempo, uma já está para adoção há cinco anos”. Atualmente a Aspa – Bicho Amigo tem 50 animais que estão abrigados em vários lares temporários.

A entidade não recebe nenhum recurso do município e todas as atividades e procedimentos desenvolvidos direcionados aos animais resgatados são custeados através da realização de eventos, doações e recursos dos próprios voluntários que fazem parte da entidade. Segundo os voluntários, “sempre achamos uma forma para arrecadar fundos”. A entidade realiza diversas atividades, que buscam a integração e o auxílio da comunidade. Mais recentemente realizou o 1º Arraiá Bicho Amigo, na praça da Catedral Angelopolitana e no início de setembro irá realizar um brechó, no qual as pessoas poderão participar doando qualquer artigo que esteja em bom estado e que possa ser vendido e também auxiliar na compra. O valor inicial dos artigos disponíveis será de RS 2,00. A entidade está recomeçando as feiras de adoção, mas segue com foco na busca financeira para que possa manter os cuidados dos animais com tudo que eles precisam para ter seu bem-estar garantido.

Conforme os voluntários da Aspa, o trabalho desenvolvido não se restringe apenas a realização do resgate dos animais de rua em situação de vulnerabilidade. Esta ação de resgate e proteção dos animais, assim como o controle populacional é responsabilidade legal do Poder Público. Acreditam que o trabalho não alcançará a diminuição nos casos de maus tratos se não houver a compreensão de que o controle populacional passa necessariamente pela castração. A vice presidente da Associação, Cristine Peixoto, ressalta que “ainda há uma desorganização da causa animal no município de Santo Ângelo, apesar da existência de canil e de várias organizações, existe a necessidade de efetivar um projeto de castração desses animais junto ao Poder Público. Protocolamos ofício junto à prefeitura pedindo audiência para tratar sobre castração, mas até o momento não tivemos retorno”.

A associação conta ainda com auxílio das clínicas veterinárias Pet House e Alquimia. Interessados em auxiliar e conhecer o trabalho desenvolvido pela Aspa – Bicho Amigo podem acessar a página da instituição no Facebook.