Atendimento em delegacias é normalizado mas escolas seguem com períodos reduzidos

0
117

Delegacias de Polícia normalizaram o atendimento após pagamento da segunda parcela do salário No dia 31 de julho, o governo do RS anunciou o parcelamento dos salários dos servidores estaduais como consequência do agravamento da crise financeira. Segundo a equipe de Sartori, a falta de dinheiro em caixa, mesmo com as medidas de austeridade, adotadas desde o início do ano, impossibilitava o pagamento integral dos vencimentos.
O valor máximo pago no dia 31 de julho, foi de R$ 2.150 mil. Conforme o planejamento inicial do Executivo gaúcho, uma segunda parcela no valor de R$ 1 mil seria desembolsada até 13 de agosto. Os profissionais com salários superiores a R$ 3.150 mil só receberiam o restante em uma terceira parcela, que será quitada até 25 de agosto. No entanto, o governo antecipou a segunda parcela dos pagamentos, que foi anunciada na terça-feira (11). 
Uma série de manifestações criticando o parcelamento dos salários foram organizadas pelos servidores do funcionalismo público estadual. Ações de mobilização no atendimento também foram adotadas por setores essenciais, como a educação e segurança pública. Em Santo Ângelo servidores e sindicatos do funcionalismo estadual foram para as ruas e mobilizaram a população durante toda a tarde da segunda-feira, 3 de agosto. 

ATENDIMENTO NORMALIZADO 
As delegacias de Polícia Civil, desde segunda-feira da semana passada, estavam atendendo somente casos de flagrantes de delitos graves. Ocorrências simples eram atendidas apenas pela Delegacia On-line. 
Na tarde de ontem, a delegada Maria Fontella Nunes, titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Santo Ângelo, confirmou à reportagem que o atendimento foi normalizado. “Em decorrência do pagamento da parcela, as delegacias voltam a atuar normalmente. Caso ocorra um novo atraso nos salários, nosso sindicato deve repassar as medidas que vamos adotar”, frisa. Os delegados passaram uma semana sem emitir inquéritos policiais, termos circunstanciados e procedimentos para adolescentes infratores.

PERÍODOS REDUZIDOS 
Já nas escolas da rede estadual de ensino os períodos reduzidos seguem sendo realizados até o dia 17 de agosto, data em que antecede a Assembleia Geral da categoria da Educação e funcionalismo público em geral. Na oportunidade, devem ser definidos os próximos passos do movimento. 
A rotina dos alunos está sendo interferida desde a terça-feira, 4 de agosto, com a diminuição dos períodos nos três turnos de aula. 

INDICATIVO DE GREVE
Antes da Assembleia Geral que será realizada em Porto Alegre, no dia 18 de agosto, ocorreu nesta terça-feira (11) a Assembleia Regional em Santo Ângelo. O encontro teve início as 15h30min, na Escola Técnica Estadual Presidente Getúlio Vargas. O objetivo foi levar as ideias dos servidores da região para o encontro estadual. 
Segundo a diretora do 9º Núcleo do Cpers/Sindicato, com sede em Santo Ângelo, Lucia Beatriz Bardo Rosa, na Assembleia regional os servidores decretaram indicativo de greve. “Mesmo com o pagamento dos salários os períodos reduzidos continuam e estamos com indicativo de greve. Existem projetos que retiram os direitos dos trabalhadores que estão para serem votados na Assembleia Legislativa, e queremos que o governo e parlamentares descarte eles”, frisa. 

CARAVANA DOS SERVIDORES
A Caravana dos Servidores está percorrendo o Estado desde o dia 4 de julho. A iniciativa visa informar e mobilizar os servidores e a sociedade em geral sobre os frequentes ataques do governo contra o funcionalismo público do Estado. 

A Caravana Unificada dos Servidores Públicos Estaduais acontece hoje, no município de Ijuí. Na cidade, às 10h, será realizada coletiva de imprensa na sede do Núcleo do Cpers. Às 13h30min, educadores e demais servidores públicos do município e da região reúnem-se na praça central da cidade para realizar um ato público.