Bancários voltam ao trabalho nesta terça, com exceção dos funcionários do Banrisul

0
85

Em assembleia realizada no início da noite de segunda-feira (14), os bancários de Santo Ângelo decidiram acatar a decisão da maioria dos colegas em nível nacional e optaram por voltar ao trabalho após 26 dias de greve. Apenas os funcionários do Banrisul permanecerão paralisados.

Conforme o diretor do Sindicato dos Bancários de Santo Ângelo, Almiro Copetti, a categoria em Santo Ângelo rejeitou a proposta dos banqueiros, porém se submeteu à decisão nacional de retornar à rotina normal. “No caso do Banrisul, os colegas têm demandas específicas, como ajustes no plano de carreira. Vamos torcer para que os colegas do Banco do Estado tenham uma boa negociação”, destacou Copetti.

ASSEMBLEIAS

Na manhã de ontem, em assembleia, o Sindicato dos Bancários de Santo Ângelo havia definido que continuaria em greve, assim como os servidores da Caixa Econômica Federal, que realizaram reunião após a assembleia. Porém, o Comando Nacional dos Bancários já havia aprovado na sexta-feira (11) a proposta da Fenaban, inclusive os acordos específicos do Banco do Brasil e da Caixa.

Contudo alguns sindicatos regionais e estaduais optaram por permanecer em greve até ontem, o que era o caso de Santo Ângelo. A reversão da decisão só ocorreu, portanto, no início da noite.

PROPOSTA DA FENABAN

A proposta dos bancos eleva para 8,0% (aumento real de 1,82%) o índice de reajuste sobre os salários e demais verbas, para 8,5% sobre o piso salarial (ganho real de 2,29%) e 10% sobre o valor fixo da regra básica e sobre o teto da parcela adicional da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Também aumenta de 2% para 2,2% o lucro líquido a ser distribuído linearmente na parcela adicional da PLR e avança em outras reivindicações econômicas e sociais.

A nova proposta da Fenaban, apresentada no 22º dia da greve e após 18 horas de duras negociações, avançou depois que os bancos recuaram da proposição inicial de compensar todos os dias de greve em 180 dias, aceitando compensar no máximo uma hora extra diária, de segunda a sexta-feira, até 15 de dezembro – a partir da assinatura do acordo.

Ela inclui ainda quatro novas cláusulas: proibição de os bancos enviarem SMS aos bancários cobrando resultados, abono-assiduidade de um dia por ano, constituição de grupo de trabalho com especialistas para apurar as causas dos adoecimentos dos bancários e adesão ao programa de vale-cultura do governo, no valor de R$ 50,00 por mês.