Biblioteca pública de Santo Ângelo aguarda devolução de mais de 300 livros

0
258

Acesso à biblioteca é totalmente gratuito e aberto a toda comunidade

Sendo um amplo espaço dedicado à cultura e aprendizado, a Biblioteca Pública Municipal Policarpo Gay de Santo Ângelo, há quase 74 anos, alimenta o desejo de conhecimento de crianças, jovens e adultos. A biblioteca foi inaugurada na Capital das Missões no dia 17 de agosto de 1942 e até hoje se mantém viva. O acesso é totalmente gratuito e aberto a toda comunidade. São mais de 20 mil títulos no acervo.
De acordo com Fernanda Paz, bibliotecária responsável pelo acervo, que trabalha no local há dez anos, o gênero mais procurado pelo público é a literatura estrangeira e brasileira. “Trabalhamos com todas as áreas mas a literatura que abrange romance, policial e ficção é a parte que o pessoal mais busca. Além disso, temos muitas pessoas que nos procuram para retirar livros da literatura espírita, autoajuda e outras áreas.”

PROBLEMAS COM DEVOLUÇÃO
Segundo Fernanda, o principal problema que a biblioteca de Santo Ângelo esbarra hoje, é a não devolução das obras. São mais de 300 livros que não retornaram. Quando isso ocorre, a biblioteca realiza um processo padrão para entrar em contato com a pessoa que está sob posse do título, mas, nem sempre obtém êxito na recuperação.
“Entramos em contato ligando e mandando cartas na residência através dos Correios. O que acontece também é que hoje as pessoas trocam muito de chip nos celulares, e acabamos não conseguindo entrar em contato. Tenho tudo listado os endereços e os nomes das pessoas e títulos que estamos aguardando”, revela.
O problema é que a biblioteca não pode cobrar multa, já que está previsto na legislação que órgão público não deve punir o leitor com cobrança de taxa. “Pedimos que quem está com títulos em casa venha nos trazer, a pessoa não será penalizada em nada. Estamos pensando até em fazer uma campanha, como por exemplo, colocar uma caixa na prefeitura para recebimento dos livros ou talvez levar de domingo, no Brique da Praça. Colocaríamos apenas uma caixa, para que a gente recupere esses títulos tão valiosos”, comenta a bibliotecária. Outro dado importante é que a maioria dos livros em atraso foram retirados por adultos. “Isso tira o direito de outra pessoa ter acesso ao conteúdo que não retornou.”

DOAÇÕES
A biblioteca aceita doações de livros, no entanto, quando eles se referem a áreas específicas, não podem estar desatualizados. “As pessoas, às vezes, acabam nos trazendo livros que não usam mais, geralmente antigos. Mas, por exemplo, se eu colocar uma obra da área do Direito do ano de 2005 aqui, ela estará defasada”, explica.

ACESSO À BIBLIOTECA
Hoje a biblioteca abriga cerca de 20 mil exemplares e toda comunidade pode ter acesso. “Qualquer pessoa de qualquer idade pode vir e se associar. Temos desde crianças de cinco anos, que vêm nem que seja para ver os desenhos nos livros, até idosos”, conta Fernanda.
Para se associar basta que o candidato leve até a biblioteca comprovante de endereço e carteira de identidade.
Não existe cobrança de nenhuma taxa e o locador pode ficar com o livro por até 15 dias sem renovar. A biblioteca permite a retirada de até três livros infantis ou juvenil por vez e um adulto. “Caso a pessoa retire um livro adulto, poderá levar somente uma obra. Como geralmente é um único exemplar de cada título, a gente só deixa levar um por vez. Mas quem pegar uma obra adulta pode pegar mais três infantis junto. Funciona assim porque antes a gente emprestava três títulos adultos de uma única vez, dai a pessoa ficava com eles 15 dias e acabava não conseguindo ler, renovava e seguia com os livros. Isso tira a chance de outras pessoas lerem a obra”, conta.

OS LIVROS E A INTERNET
Mesmo com a popularização de livros online pela internet, nos últimos anos a procura se manteve praticamente estável, com uma pequena queda, sem grande impacto na biblioteca municipal. Só no mês de janeiro deste ano, foram retirados mais de 1.000 livros, tendo em vista que é um mês em que muitas pessoas viajam. Em fevereiro, o número chegou quase a 1.100 livros retirados. A média durante o ano é de 1.200 retiradas/mês. Durante todo o ano, o número chega a cerca de 15 mil empréstimos. A biblioteca mantém uma média de cerca de 500 leitores retirando títulos por mês.
“Nosso público é bem variado, temos bastante adultos, mas também temos crianças e idosos, que também costumam vir fazer leitura de jornais e revistas que a gente tem assinatura. Ressaltamos que muitas pessoas não sabem nem onde fica o endereço da biblioteca, sendo que a gente conta com essa estrutura gratuita com acesso à cultura e ainda climatizada. A biblioteca poderia estar cheia”, relata Fernanda.

INVESTIMENTO
A biblioteca vive de doações e recursos oriundos da prefeitura. Todos os meses, mediante a licitações, são recebidos, em média, dez livros novos. Só em 2015, a biblioteca recebeu cerca de 700 obras. “Mesmo com a internet a procura ainda não caiu. Vemos mães, pais e crianças vindo buscar livros. Por isso é importante incentivar desde pequeno, porque depois que se cria o hábito eles continuam a vir aqui. Queremos que todo mundo venha, que a comunidade saiba que a gente existe”, finaliza a bibliotecária.

LOCALIZAÇÃO E HORÁRIO
A Biblioteca Pública Municipal Policarpo Gay funciona de segunda a sexta-feira das 8h30min às 11h30min e das 12h30min às 18h e fica localizada na Rua Três de Outubro, número 800, em anexo ao Centro de Cultura.