Chineses querem fechar parceria com a Cotrisa até o final do ano

0
86

Representantes do Governo chinês visitaram duas unidades da cooperativa nesta semana

O vice-presidente da Chinatex, Wang Jin, e o presidente da empresa CP Leader, Hasen Chen, acompanhados de lideranças do governo chinês, estiveram na terça-feira (15), em Santo Ângelo, a fim de conhecer as unidades de recebimento de grãos da Cotrisa e discutir negócios futuros.

Segundo Pedro Reus Nardes, secretário nacional da Associação de Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja), que acompanhou a visita, até o final do ano, os chineses querem investir no Brasil cerca de 13 milhões de dólares, sendo parte deste valor na região das Missões.

Há dois anos, eles tentam negociar a produção de soja produzida no Estado para exportar à China. Durante este período já visitaram cooperativas como a Cotrijal e Cotrisoja. Agora, mantém negociação com a Cotrisa.

Durante visita nas Missões, os chineses estiveram no Centro Administrativo da Cotrisa (no Parque Industrial) e em unidades de recebimento e propriedades rurais de Guarani das Missões e de São Pedro do Butiá.

Conforme Nardes, o objetivo é comprar soja direto dos agricultores e fazer com que a Cotrisa seja o elo com a Chinatex. “Hoje apenas 30% da população chinesa se alimenta como os brasileiros, usando proteínas. Como a tendência é aumentar o consumo desse tipo de alimentação e os chineses não têm como produzir, o governo quer comprar soja no Brasil e o interesse é a soja produzida nas Missões”, explica.

A expectativa é de que até o final deste ano possa acontecer uma negociação com a Cotrisa de Santo Ângelo.