Chuvas regulares são o cenário ideal para soja manter a perspectiva de produtividade

0
89

Plantio já alcançou 70% da área em Santo Ângelo, segundo o escritório municipal da Emater

O produtor rural Santo Luis Pedó, que reside na localidade de Rincão dos Mendes, trabalha com a expectativa de na próxima safra de soja colher 50 sacas por hectare. Ele mora em uma área de 5,5 hectares e, nela, plantou quatro desta cultura. Sua mãe, Luiza Pedó, 85 anos, também reside em Rincão dos Mendes, numa área de 14,7 hectares. Nesta propriedade, Santo plantou 11 hectares do grão. No total, somando a sua propriedade e a da sua mãe – que reside com uma irmã de Santo –, o produtor plantou 15 hectares da cultura.

Santo fez o plantio por volta do dia 7 deste mês. “Venho de duas safras de soja cheias, que foram 100%, e estou entusiasmado para fazer outra colheita boa”, afirma ele, que na sua propriedade também planta, entre outros, mandioca, milho, amendoim, abóbora e moranga, além de ter algumas vacas leiteiras e suínos.

A expectativa de Santo em relação à produtividade da sua próxima colheita de soja é um pouco superior à estimada para Santo Ângelo pelo escritório municipal da Emater. Neste ano, de acordo com o chefe do escritório, o engenheiro agrônomo Álvaro Uggeri Rodrigues, a estimativa de produtividade é de 42 sacas de soja por hectare. “Esse número que estimamos é resultado da produtividade obtida em anos anteriores e do nível tecnológico das propriedades rurais, visto que algumas têm mais tecnologia, outras menos”, explica Álvaro. Em 2012, neste mesmo período do ano, a expectativa era de 40 sacas por hectare, e a colheita terminou com uma média de 45. “Neste momento atual da cultura, em que algumas plantas estão em fase de germinação e outras de desenvolvimento vegetativo, é interessante que ocorram chuvas regulares intercaladas com períodos de sol. Se as lavouras receberem em torno de 40 milímetros de chuva por semana, isso manterá o potencial de produtividade ou vai até ampliá-lo”, complementa.

Em Santo Ângelo, o plantio de soja visando à próxima safra já alcançou 70%. Dos 36.700 hectares que receberão o plantio da cultura na cidade, 25.690 já foram plantados – o processo se iniciou no final de outubro. “Devido às chuvas regulares de novembro, a expectativa é que o plantio da cultura termine no final deste mês ou, no máximo, no início de dezembro”, diz o engenheiro agrônomo, revelando que as orientações mais solicitadas pelos produtores ao escritório municipal da Emater dizem respeito ao uso correto de fertilizantes. A colheita ocorrerá entre março e abril.

Já quanto ao trigo, cuja colheita foi feita entre outubro e novembro, a área cultivada em Santo Ângelo foi de 16.300 hectares, e as estimativas preliminares da Emater indicam que a produtividade média obtida foi de 55 a 60 sacas por hectare. “Essa é considerada a maior safra da história do cultivo de trigo no município”, declara Álvaro. Nesta quinta (28), a partir das 8h30min, na agência local do IBGE, entidades, empresas e sindicatos da área participarão de uma reunião em que serão apresentados os números oficiais da safra de trigo e as perspectivas para a safra de soja.