Comissão de municípios das regiões de Santo Ângelo e de Santa Maria irá acompanhar andamento da BR-392

0
98

Grupo irá a Brasília no dia 22 para cumprir agenda em órgãos federais

 

Prefeitos, vereadores, empresários e demais lideranças dos municípios das regiões Missões e Central do Estado se reuniram no último sábado (4), em audiência no auditório Iglenho Araújo Burtet, no Parque da Fenamilho, para debater o traçado da BR-392, que ligará Santo Ângelo a Santa Maria. Na ocasião, foi formada uma comissão para acompanhar o andamento do processo, e que terá o primeiro compromisso já no dia 22 de maio, quando cumprirá agenda em órgãos federais em Brasília.

A comissão será formada pelo deputado federal Paulo Pimenta, pelo ex-prefeito de Santo Ângelo Eduardo Loureiro, pelo ex-diretor de projetos do Dnit e atual presidente do PR no Rio Grande do Sul, Cajar Nardes, além de um representante de cada município presente na audiência.

No encontro de sábado, o deputado Paulo Pimenta lembrou que quando esteve em Santo Ângelo, há alguns anos, foi questionado pelo então prefeito Eduardo Loureiro se sabia da realidade da BR-392. “Eu disse que é uma rodovia que tem duas pontas (Santa Maria-Rio Grande e Porto Xavier-Santo Ângelo) e não tem meio (Santo Ângelo-Santa Maria)”, afirmou.
“Depois que fui apresentado a essa pauta, estudei o assunto. O que a gente observa: temos o Porto de Rio Grande, o principal porto do Sul da América, no Oceano Atlântico. Temos também o Porto de Antofagasta, no Chile (Oceano Pacífico), que vem por rodovia asfaltada até a Argentina, e termina no outro lado do rio em Porto Xavier. Então com essa rodovia temos a possibilidade de ter uma reta do Pacífico até o Atlântico”, acrescentou o deputado.

O parlamentar afirmou que tão logo a presidente Dilma Rousseff fez o anúncio da nova rodovia, ele foi ao Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit). “Ouvi deles que essa estrada só tem sentido se junto fizermos a ponte internacional em Porto Xavier-San Javier. Então temos um argumento poderoso, para incluir na construção da estrada a licitação da ponte”, destacou.

Já o ex-diretor de projetos do Dnit, Cajar Nardes, nomeou alguns integrantes do Ministério dos Transportes que foram apoiadores da obra que, segundo ele, irá beneficiar 3 milhões de gaúchos.

Além de Pimenta, Loureito e Nardes, integraram a mesa de autoridades o prefeito de Santo Ângelo, Valdir Andres, o presidente da AMM, Renê Nedel, e o presidente da 16ª Fenamilho, Antônio Alberto Toscani.

 

COMISSÃO DEVE DEFINIR DETALHES DO TRAÇADO

A comissão que acompanhará o andamento da BR-392 deve definir detalhes do traçado, como a proximidade com determinados municípios que ainda não dispõem de acesso asfáltico. Para isso, o grupo irá conversar com técnicos do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), para conseguir sintonia entre as obras de pavimentação do Governo do Estado e as do Governo Federal.

Uma das definições será, por exemplo, sobre a obra de contorno Norte e Leste de Santo Ângelo, passando pelo Aeroporto Regional. “É um acesso que vai começar na zona Norte da cidade, passando pela região Leste, e saindo lá em Entre-Ijuís”, explicou o ex-prefeito Eduardo, ao comemorar a inclusão da obra no Programa de Aceleração do Crescimento. “Fizemos audiências públicas, tivemos muitas idas a Brasília, até que o governo autorizou o estudo de viabilidade técnica e ambiental, que está em fase de conclusão.”

Outra obra da região que deve ser debatida pela comissão é a de ligação asfáltica de Eugênio de Castro até Entre-Ijuís. Segundo o deputado Pimenta, como há uma promessa do Governo do Estado em asfaltar a estrada até o município, é preciso rever se o trajeto passará mais próximo ou mais distante ao município, para contemplar o acesso. “Se tivermos a garantia de que a obra sairá e que o cronograma será cumprido pelo Daer, não tem porque brigarmos para fazer o acesso por outro local”, exemplificou.

Rodovia terá extensão de 235 quilômetros

A BR-392, no trecho entre Santo Ângelo e Santa Maria, terá uma extensão de 235 quilômetros e, assim, fará a ligação total entre os oceanos Pacífico e Atlântico. Isso porque já estão construídos os trechos da BR-392 entre Rio Grande e Santa Maria e entre Santo Ângelo e Porto Xavier. Na Argentina e no Chile a estrada prossegue em rodovia asfaltada, chegando até Antofagasta, no Oeste da América do Sul.

A rodovia irá passar pela BR-285 (São Borja-Vacaria), ERS-377 (Santiago a Joia), BR-287 (São Pedro do Sul), BR-158 (Santa Maria a Rosário do Sul). “Esta é a maior obra rodoviária que será feita no Rio Grande do Sul nas últimas décadas, e não podemos perder a oportunidade de mudar a logística rodoviária aqui no Estado”, afirmou, no encontro, o deputado Paulo Pimenta.

INÍCIO DO DEBATE

O ex-prefeito de Santo Ângelo, Eduardo Loureiro, na audiência lembrou como começou a mobilização para a inclusão da rodovia entre as prioridades do Governo Federal. “Essa inclusão da BR-392 no PAC é o resultado de uma luta. Em 2004, depois das eleições municipais, fomos convidados para uma reunião na Cotrisa, onde estava o engenheiro Luiz Augusto Bassani, responsável pelo Dnit na região, o presidente da Cotrisa, Roberto Haas, e fizemos um grande debate sobre essa estrada”, lembrou.

O ex-prefeito falou do trabalho de mobilização, até chegar ao estudo técnico. “Os técnicos já fizeram uma proposta de traçado, que demonstra a vontade do governo em fazer essa obra sair do papel. Se a presidente Dilma decidiu anunciar essa obra publicamente, com certeza ela recebeu o ‘ok’ por parte dos órgãos técnicos do governo que cuidam dessa questão”, complementou.

Conforme o deputado Paulo Pimenta, se o processo de mobilização correr bem, é possível licitar o projeto técnico e a obra já em 2014 ou no primeiro semestre de 2015.