Corpo de Bombeiros alerta banhistas sobre os cuidados para evitar afogamentos

0
89

Comandante Eglacir Chaves destaca como prevenir acidentes

Com a chegada do calor e o início da temporada do veraneio, muitas pessoas seguem rumo às praias, balneários e clubes. Neste período aumentoa o número de afogamentos conforme as estatísticas registradas no Estado. Apenas na primeira semana de janeira já foram registradas duas mortes e 209 salvamentos. Diante desse quadro, o 11º Comando Regional do Corpo de Bombeiros de Santo Ângelo alerta para os perigos das águas e orienta os banhistas a tomarem precauções de modo a evitar afogamentos e acidentes.

O Comandante do Corpo de Bombeiros, Eglacir Joel de Oliveira Chaves, salienta a importância dos banhistas terem muito cuidado nessa época, para evitar tragédias, tendo em vista os perigos dos banhos de mar, rio e até mesmo nas piscinas. Segundo ele, o banhista deve evitar bebidas alcoólicas antes de entrar na água, uma vez que esse produto prejudica a coordenação motora e os reflexos.
Outro cuidado apresentado é em relação às refeições. A pessoa deve entrar na água somente duas horas após ter se alimentado. A medida visa evitar o acidente vascular cerebral. Durante o processo de digestão, o cérebro fica pouco vascularizado e diante dos esforços físicos o organismo pode ocasionar até mesmo uma congestão.

OUTRAS DICAS

O banhista também precisa ficar alerta quanto à profundeza das águas. Sempre deve observar que o nível não ultrapasse a linha do peito. Também deve evitar brincadeiras como simulação de afogamento ou forçar a cabeça de um amigo para dentro da água. Já em relação às crianças nunca devem estar desacompanhadas durante o banho. E o uso de bóias é fundamental para evitar o afogamento diante de um descuido. Além disso, é preciso evitar que brinquedos e bóias fiquem dentro ou a beira da piscina, pois chamam a atenção dos pequenos e pode causar algum acidente. Ainda se faz necessário evitar que fiquem sozinhas pessoas deficientes ou com distúrbios, pois podem sofrer desmaios e ter ataques epiléticos nas águas.

Em locais desconhecidos, o banhista deve se informar dos pontos mais perigosos e verificar a profundidade do local do banho usando um pedaço de madeira. Jamais a pessoa deve mergulhar em locais desconhecidos e efetuar os chamados “bicos” para não se chocar em pedras e galhos trazidos pelas correntezas dos rios.

AÇUDES E LAGOS

Os açudes e lagos também escondem armadilhas no próprio lodo, onde pode haver obstáculos submersos como arames farpados, buracos e restos de ferramentas agrícolas capazes de prender a roupa e causar ferimentos profundos.