Delegacia da Mulher deverá iniciar atendimento no começo de dezembro

0
96

Enquanto o prédio oficial não abrigar as atividades, atendimento será feito provisoriamente na DPCA

Será entregue até amanhã (14) a primeira etapa de obras da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que sediará também, provisoriamente, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Os profissionais continuarão trabalhando nas demais demandas do prédio, como reforma do muro e pintura do local, que devem ser concluídas e entregues até o fim do mês. A informação é do delegado regional Fernando Sodré. “O atendimento no local deverá se iniciar ainda no começo de dezembro”, ressalta.

Conforme o delegado, o prédio oficial da Deam, situado na Rua Tiradentes, deve passar a sediar os serviços apenas na metade do ano que vem. “Essa é uma estimativa que temos. Recebi informações de que o governo federal fará o depósito no início do mês de dezembro. Se confirmado o depósito, o Município poderá abrir as licitações para a contratação de mão de obra e compra de material para obra, além de material para montar o escritório”, explica.

REGIME DE TRABALHO
O trabalho policial deve ocorrer normalmente, com o apoio de um projeto realizado em parceria com a URI. Esse projeto prevê o acompanhamento de uma psicóloga às mulheres vítimas de violência na busca de orientação e também mediação na tentativa de diminuir os índices de violência.

“Estamos tentando viabilizar com a Prefeitura a contratação de um psicólogo, além de estarmos com o projeto da Casa de Abrigamento e do Centro de Referência, que devem passar pela análise e liberação no ano em que a delegacia já estiver atuando”, ressalta o delegado, explicando que os recursos serão tentados por meio de verba federal.

Nessa primeira etapa, atuarão oito policiais mais um delegado. Posteriormente, com a atuação na sede oficial da Deam, atuarão dez policiais mais um delegado. “Isso sem levar em consideração os profissionais que queremos tentar integrar, que são a psicóloga e a assistente social”, destaca Sodré.