Diretor do Grupo Hospitalar Conceição esteve na região para discutir implantação de Hospital Público Regional

0
92

Gilberto Barichello conheceu a estrutura do Hospital da Guarnição Militar, na tarde do último sábado

No último sábado, o diretor administrativo e financeiro do Grupo Hospitalar Conceição, de Porto Alegre, Gilberto Barichello, responsável pelo Governo Federal na implantação dos quatro hospitais públicos regionais no Rio Grande do Sul, esteve na região para tratar sobre a implantação de um Hospital Público Regional nas Missões.

Na parte da manhã, foi realizada uma reunião na Câmara de Vereadores de São Luiz Gonzaga, com a participação das lideranças regionais. Na oportunidade, segundo Barichelo, foi esclarecido sobre como funciona um Hospital Regional e o que implica abrigar a estrutura na região. “O mais importante para a região é vencer a primeira etapa de discussões, e criar uma unidade política em torno do projeto de Hospital Público Regional”.

Segundo ele, é possível a criação de duas unidades, em cidades diferentes. “Pode-se criar duas unidades, uma em São Luiz Gonzaga e outra em Santo Ângelo, que se complementem e que darão uma maior cobertura em toda a região”, acrescenta.

Um exemplo citado por Barrichelo, é o Hospital Público Regional no mesmo formato de Palmeiras das Missões e Frederico Westphalen, que envolve em torno de 72 municípios. Naquela região já está acordado que haverá um único Hospital Regional, com sede em Palmeira das Missões e uma unidade em Frederico Westphalen

SANTO ÂNGELO

Na tarde de sábado, foi realizada uma visita técnica ao Hospital da Guarnição Militar de Santo Ângelo, que é um dos diferenciais da cidade na construção de um projeto de Hospital Público Regional. Atualmente, ele está sendo utilizado apenas como posto médico militar.
A antiga unidade militar foi desativada no começo de 2011.

Segundo Gilberto Barrichelo, a estrutura dos Hospital da Guarnição Militar é muito boa. “Apenas do ponto de vista das normas sanitárias teria que haver algumas mudanças, já que o hospital foi construído quando as normas sanitárias eram outras, mas no geral, a estrutura é muito boa”, avalia.

Outro diferencial apresentado em Santo Ângelo, é a instalação do Ifet (Instituto Federal Farroupilha), que terá a área da saúde como prioritária para 2013, com previsão inicial de, pelo menos, dois cursos nessa linha.

PRÓXIMOS PASSOS

O próximo passo será uma audiência pública na Câmara de Vereadores, onde o tema será discutido com vários segmentos da comunidade, protocolada pelo vereador da bancada do PT, Gilberto Corazza.

Corazza também explica que a mobilização pelo Hospital Público Regional não se trata de fazer concorrência ou desmerecer o grande trabalho que é feito pelo Hospital Santo Ângelo – instituição filantrópica que tem uma história de 80 anos de serviços prestados à região. O objetivo, observa o vereador, é que o hospital regional ofereça atendimento exclusivamente público, 100% pelo SUS.

Dessa forma, pretende-se qualificar o Sistema Único de Saúde, o qual será tema de conferência e oficina durante o Fórum Social Missões, que acontece de 29 a 31 de março.

 

Prefeito Eduardo salienta sobre a importância de uma discussão em âmbito regional

O prefeito de Santo Ângelo Eduardo Loureiro, que esteve presente na reunião em São Luiz Gonzaga e na visita ao Hospital Militar, ambas tratando sobre o Hospital Público Regional, salientou que, neste primeiro momento de discussões, é importante construir um projeto regional em torno do assunto. “Não se trata de realizar uma competição entre os municípios, mas sim de se criar um projeto regional para abrigar uma estrutura de Hospital Regional. Santo Ângelo quer construir um projeto com os municípios da região”, salienta.

De acordo com Eduardo, a reunião na Câmara de Vereadores de São Luiz Gonzaga e a visita técnica ao Hospital da Guarnição Militar em Santo Ângelo foram muito produtivas e esclarecedoras sobre o funcionamento a as características de um Hospital Público Regional. “Agora está na mão dos municípios, que terão que discutir e construir esse projeto. Estamos mobilizados para debater esse assunto, que visa criar novas estruturas para a área da saúde”, complementa o prefeito.

O prefeito de Santo Ângelo diz que a região das Missões possui carência em atendimento de cardiologia e oncologia, especializações que poderiam ser abrangidas pelo Hospital Público Regional.