Eletrosul aprova projeto de construção de uma fábrica de sabão no Albergue Estadual

0
94

Projeto tem a parceria da Susepe, Iesa e Restaurante Arena Grill

 Na última terça-feira (13) ocorreu o encontro entre as organizações sem fins lucrativos que tiveram seus projetos aprovados pelo edital de patrocínio a projetos sociais 2012 pela Eletrosul, em Santo Ângelo, no Setor de Manutenção da Eletrosul, situado na ERS-344.

Na ocasião tratou-se da apresentação da Eletrosul e sua Política de Investimento Social através de vídeo institucional, bem como a apresentação de cada organização patrocinada pelo edital da Eletrosul. Na sequência ocorreram orientações sobre gestão, expectativas, dúvidas e esclarecimentos para o andamento dos projetos.

O Projeto “Sabão Ecológico Solidário” proposto pelo Conselho da Comunidade de Santo Ângelo foi um dos 12 projetos selecionados entre os 123 apresentados no Rio Grande do Sul. O projeto pleiteou patrocínio para implantação de uma fábrica de sabão ecológico na área externa do Instituto Penal de Santo Ângelo (IPSA) – Albergue Estadual.

Segundo o delegado penitenciário regional, Irineu Koch, o objetivo é atender a médio prazo uma população aproximada de 2 mil apenados recolhidos na 3ª Região Penitenciária do RS. “O projeto proposto tem grande relevância pelo fato que partiu da própria necessidade da comunidade assistida que enfrenta a discriminação pela sociedade em geral, pois é comum ao recluso na sua volta ao meio livre sem prévio preparo e colaboração na reintegração social o fator de reincidir na delinquência”, afirma.

O conhecimento de uma atividade de trabalho interno para os apenados recolhidos no IPSA tem caráter reeducativo e humanitário, pois, colabora na formação da personalidade do condenado e na preparação da reinserção social, ao dar ao recluso uma possibilidade de trabalho lícita, a ser posta a serviço da comunidade livre.

Koch citou o que ele considera uma importante citação de albergaria. “Se para todo homem, o trabalho é um instrumento de auto- realização e aperfeiçoamento, para o condenado é um instrumento de humanização e liberação”, destaca.

O projeto conta com parceria que envolve a comunidade acadêmica do curso de Administração do Instituto Cenecista de Ensino Superior de Santo Ângelo – Iesa, bem como entidade governamental (Susepe) e setor privado (Restaurante Arena Grill).