Em Santo Ângelo, chefe da Polícia Civil, Ranolfo Vieira Junior, destaca avanços da segurança pública no Estado

0
80

Ranolfo, que deixará o cargo em breve, foi homenageado pela 13ª Delegacia Regional de Polícia

Cumprindo roteiro pelas Delegacias Regionais do Estado, o chefe da Polícia Civil no RS, delegado Ranolfo Vieira Junior, que deixará o cargo nos próximos dias, esteve em Santo Ângelo na terça-feira (11). Ranolfo participou de um almoço na Casa dos Subtenentes e Sargentos de Santo Ângelo (Casusa) e, à tarde, coordenou uma reunião em que fez um balanço de sua gestão e discutiu estratégias da instituição para este ano.

O almoço teve como público policiais civis de Santo Ângelo e região, bem como representantes dos poderes Executivo e Legislativo, Judiciário, área militar, entidades e empresários. Ranolfo, que assumiu a chefia no dia 1º de janeiro de 2011, foi homenageado pela 13ª Delegacia Regional de Polícia Civil, que tem como titular o delegado Fernando Sodré. “É uma recepção à altura do que ele merece. O delegado fez um trabalho intenso em prol da Polícia Civil, e entendemos que ele melhorou nossa instituição em todos os aspectos. Com esta homenagem, queremos mostrar o quanto reconhecemos o seu esforço e dizer que estamos torcendo por sua caminhada futura, bem como agradecer o apoio recebido”, disse Sodré.

AVANÇOS
Em sua manifestação, Ranolfo frisou que, ao longo destes pouco mais de três anos, buscou promover uma série de avanços na instituição. “Internamente, houve avanços na questão salarial, em promoções de policiais. Tínhamos as carreiras muito trancadas, por assim dizer. Além disso, adquirimos viaturas e equipamentos, e, na atividade policial em si, a investigação criminal tomou um outro fôlego e hoje temos grandes operações em todas as regiões policiais. É uma nova forma de a polícia atuar, utilizando ferramentas modernas na investigação criminal”, declarou.

Quanto à chefia da Polícia Civil, ele preferiu não se aprofundar sobre o futuro nome. “Cabe ao governador Tarso Genro definir. O certo é que, em conversas com ele e com o secretário de Segurança Pública, Airton Michels, o que eles têm indicado é que querem a continuidade do modelo atual de administração.”