Em sua 9ª edição, Santo Ângelo em Dança movimentou o município

0
96

Evento contou com mais de 30 grupos de dança, vindos de 24 municípios e 187 coreografias

 Foram aproximadamente mil participantes, entre bailarinos, coreógrafos e diretores, que estiveram participando da 9ª edição do Santo Ângelo em Dança, embalando o município com mais de 30 grupos de dança, vindos de 24 municípios e 187 coreografias dos mais variados estilos. Foi desta forma que, de quinta-feira (13) a domingo (16), o palco do Teatro Antônio Sepp tornou-se o centro de Santo Ângelo e da região, sendo o local mais aclamado, lotado e repleto de emoções.

Conforme o coordenador do festival, o carioca Henrique Talmah, o público surpreendeu os organizadores. “Todas as noites foram de casa lotada. Desde o primeiro dia a procura por ingressos foi concorrida, e a noite de sábado, como já esperávamos, foi a mais lotada por ser a competição dos conjuntos, mas a maior surpresa foi o publico de sexta-feira. No geral, foi uma grande festa”, destaca.
Henrique cita algumas empresas que foram importantes para o bom desempenho do evento, mas explica que, para a edição do ano que vem, serão necessários mais apoiadores e recursos para que o evento consiga seguir superando as expectativas dos participantes e do público em geral. “A Vonpar, a Artiplan e a nossa equipe de luz e som Solaris foram essenciais e decisivas. Porém, como o evento cresceu muito rápido e nossa equipe técnica trabalha por amor ao evento, acreditamos que agora chegou a hora da virada. Precisamos profissionalizar o Santo Ângelo em Dança. Estamos recebendo elogios pela estrutura do festival, o município foi invadido, então esperamos que percebam a sua importância”, acrescenta.

Para que isso seja possível, as alternativas sugeridas pelo coordenador são a criação de leis de incentivos e editais para realizar um festival de porte ainda maior e mais estruturado. “Queremos que as autoridades invistam na reforma do Teatro Municipal, porque tivemos que maquiar através de decoração as precárias condições em que ele se encontra. O Santo Ângelo em Dança já está projetado por todo o Brasil e faz parte do calendário dos festivais de dança, então para a próxima edição acreditamos em um número ainda maior de grupos participando”.

Ao lado do organizador do evento desde a primeira edição, Douglas Ravadielli, Henrique falou sobre a emoção de fazer parte de um projeto de sucesso, como o Santo Ângelo Dança. “A dança não é só lazer e entretenimento, dança é arte, arte é cultura e cultura é educação. Foram dias muito especiais e volto ao Rio de Janeiro com o sentimento de dever cumprido e muita saudade. O Douglas é um exemplo de garra e conquista. Daqui para a frente, mais do que nunca, ele precisa de mais ajuda e apoio, principalmente das empresas privadas, para dar seguimento ao festival”, completa.