Empresa vencedora de licitação se organiza para dar início à obra de asfaltamento até Eugênio de Castro

0
89

Dirigentes da Pelotense estiveram tratando dos trâmites necessários para começar a obra em breve

O asfaltamento entre Eugênio de Castro e Entre-Ijuís, esperado há décadas pela população regional, está próximo de começar, se depender da empresa vencedora da licitação, a Pelotense. Seu diretor-presidente, Luis Roberto Ponte, esteve na terça-feira (25) em Eugênio de Castro, onde verificou a estrada e as condições da empresa para realizar a obra, licitada em 2010. Na ocasião, manifestou interesse em executá-la.

Conforme Ponte, já foi liberada a licença ambiental para realizar o asfaltamento, porém a empresa precisa de uma licença de exploração para retirar materiais de uma pedreira no município. “Se conseguirmos utilizar esta pedreira, próxima de Eugênio de Castro, talvez possamos começar a obra em até três meses”, disse o diretor da empresa à Rádio Santo Ângelo.

O valor para executar a obra girará em torno de R$ 26 milhões, com prazo de execução de 18 meses. “A comunidade está criando um clima favorável para a execução da obra”, disse o empresário, ao referir-se a um almoço oferecido na terça-feira, em que participaram o prefeito Horst Daltro Steglich, o vice Fernando Machado, secretários municipais, vereadores, o ex-prefeito de Santo Ângelo, Eduardo Loureiro, dentre outras pessoas.

Loureiro, que acompanha e batalha pela execução da obra desde que era presidente da Associação dos Municípios das Missões, lembrou no encontro que é necessário pressionar as autoridades para que as obras saiam do papel. Neste mês, ele agendou e participou de audiências no Daer e na Secretaria de Infraestrutura e Logística, do Governo do Estado, para pedir agilidade quanto ao início das obras.

“O que conquistamos até agora foi um avanço importante. Sabemos que recurso não é mais problema para o Governo do Estado, que buscou empréstimos internacionais e irá empregá-los nesta e em outras obras no RS. Agora é questão operacional. Outro fator positivo é que esta empresa que venceu a licitação é reconhecida e confiável, e pode realizar uma obra desta grandiosidade”, destacou Eduardo Loureiro.