Empresário alerta que drama italiano ainda não chegou ao ápice

0
157
Tarciso começou como lavador de pratos e hoje é empresário renomado na terra de seus antepassados. Foto: Arquivo pessoal

Tarcisio de Bacco reside na Itália há 35 anos. Com 26 anos resolveu visitar a Europa e, como ele mesmo diz, “colocou uma mochila nas costas” e partiu. Nessa aventura, conheceu Milão e se apaixonou. Hoje, proprietário do renomado Ristorante Biffi, está preocupado com o Coronavírus e falou da experiência que os italianos estão vivendo.

Tarcisio é natural de Bento Gonçalves e embora assine de forma diferente, possui familiares em Santo Ângelo. O Ristorante Biffi é localizado na Galleria Vittorio Emanuele II, um dos principais marcos de Milão, localizada na Piazza del Duomo, ao lado da Catedral. Milão é uma cidade de 2,5 milhões de habitantes, no Norte da Itália, considerada a principal potência econômica do país.

O restaurante foi inaugurado com a Galeria. O estabelecimento foi construído em 1867 e recebeu personalidades do mundo todo, de Giuseppe Garibaldi e Giuseppe Verdi a Ayrton Senna. Há 21 anos, Tarcisio é o proprietário.

O empresário conta que na temporada alta de turismo, a casa recebe entre 30 a 40 brasileiros por dia e, nos períodos de feira de móveis ou design, o português vira uma espécie de idioma oficial do lugar.

Assim como todo o comércio de Milão, o restaurante está fechado desde o dia 8 de março. “A pandemia provoca um dano irreparável para toda a Itália”, definiu Tarcisio em entrevista concedida nesta sexta-feira (27) para a Super Rádio Santo Ângelo.

Ele o restante da família estão confinados em casa, assim como seu funcionários. “No dia 8, quando começou, não fecharam todas as atividades, só onde tinha aglomeração. Os demais mantinham-se funcionando. Mas depois, vendo que o número de infectados não parava de crescer, decidiu-se pelo fechamento total”, observa. Estão funcionando apenas os supermercados e as farmácias. “Mesmo quem precisa ir ao supermercado, tem que obedecer certas normas, como ficar de dois a três metros dos demais. Os estabelecimentos oferecem luvas e máscaras. Isso para evitar que o vírus de espalhe”.

IMPORTÂNCIA DA QUARENTENA
Ao avaliar se a medida do isolamento total é a mais correta, o empresário afirma que não muitos aspectos e que tudo tem que ser analisado com calma. “Ninguém poderia imaginar que chegaria a esse nível. Mas temos um país com muitos idosos. A faixa de natalidade é muito baixa. Esse vírus atinge essas pessoas e elas já possuem outros problemas de saúde. O percentual de mortalidade se torna muito grande e a transmissão é muito rápida”, avalia.

Segundo ele, a quarentena é muito importante nesse momento, para preservar as pessoas de mais idade, que é o maior número de pessoas que estão falecendo. “Sem transitar, as pessoas não levam o vírus para casa e não contaminam os demais”.

A respeito do atendimento de saúde, Tarcísio afirma que agora estão sendo estalebecidas medidas emergenciais, como a transformação dos antigos pavilhões usados para a feira da cidade em estrutura com cerca de 500 leitos para atender aos infectados. “E aí podemos imaginar o que vai acontecer, porque ainda não chegamos ao ápice”.

Para ele, não há outra recomendação mais importante. “Tem que ficar em casa, se isolar, até que o vírus deixe de circular. Caso contrário continuaremos a ver as cenas lamentáveis que estamos acompanhando”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here