Equipe de obras do Ginásio Marcelo Mioso trabalha na colocação do piso

0
159

Operários entraram na reta final das obras no centro de eventos

 As obras de reforma e ampliação do ginásio Marcelo Mioso entraram, nos últimos dias, na fase final. Conforme o secretário de obras, Jacques Barbosa, esta é a fase de acabamento da estrutura e colocação do piso que abrigará a quadra poliesportiva do Ginásio, além das cabines para a imprensa, a compra do mobiliário, o projeto de prevenção de incêndios, acessibilidade e pintura. O investimento, nesta última etapa chega a R$ 1,3 milhão e conta com recursos do Governo Federal.

A equipe de obras do Ginásio Marcelo Mioso trabalha intensamente na colocação do piso. O responsável por esta serviço, João Matana Seco, explica como funciona a colocação do piso e os materiais utilizados: “É todo feito de barrotes de cana fístula, com amortecedores de borracha, propícia para prática de esportes, uma camada de compensado de 10 mm e em cima, o piso, que é de grápia, todo colado e pregado. O piso será lixado e depois a gente vai aplicar o sintético. Em cima do sintético, vai a demarcação do vôlei, futsal e basquete. Usamos material de primeira linha”, complementa.

CENTRO DE EVENTOS

Pelo projeto arquitetônico, o local será transformado em uma sede para grandes eventos e passará a contar com a dimensão da quadra recomendada para competições oficiais, ficando em condições de sediar eventos internacionais. Foram construídas salas para eventos paralelos, vestiários, sanitários para o público e rampas para portadores de deficiência física. O ginásio, que antes comportava 1,5 mil pessoas, passará a ter capacidade para receber 5 mil.

A OBRA

O secretário Jacques Barbosa explica que o Governo Federal liberou em várias etapas as verbas necessárias para a reforma e ampliação do ginásio. Foram celebrados seis contratos de repasse de recursos, entre os anos de 2006 e 2010, com o Ministério do Esporte, representado pela Caixa Econômica Federal, o que obrigou o município a dividir a obra em várias etapas. Para aplicação dos recursos liberados, em diferentes datas, foi necessária a realização de cinco processos licitatórios, o que tornou a execução da obra complexa pelo fato das diferentes fases e projetos técnicos estarem interligados.