Escola Municipal Cel. Eurico de Morais do bairro Haller constrói cisterna

0
93

Cisterna tem capacidade de armazenamento de 16 a 17 mil litros de água

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Cel. Eurico de Morais, do bairro Haller, está construindo uma cisterna, através da iniciativa da ONG Políticas Públicas Outro Mundo é Possível.
A iniciativa deu-se em razão da falta de chuvas e a consequente estiagem que assola a região das Missões. “Diante da situação de seca que se encontra o Rio Grande do Sul e a região das Missões em particular, a cisterna é uma das medidas necessárias para convivermos com os períodos de estiagem, que atingem nosso estado e nossa região de tempos em tempos”, avalia o coordenador da ONG, o vereador do PT Gilberto Corazza.

A cisterna foi viabilizada com a parceria entre a ONG, a Rede de Educação Cidadã, que efetuou o pagamento da mão de obra; Secretaria Municipal de Habitação; Secretaria Municipal de Educação e Secretaria Municipal de Obras, que ajudaram com maquinários e materiais de construção. Além disso, colaboraram com valores a Intersindical de Santo Ângelo; José Eduardo Veiga; Dalmir Ledur; Francisco Soares; Narciso Soares; Irineu Koch; Estevão Moor e Nelson Werlang, que doaram sacos de cimento.

A Comissão Pastoral da Terra disponibilizou o trabalho de José Orestes Lovato, o Zeca, que executou a obra. Ele é um conhecedor do sistema de cisternas feita com placas de cimento, também conhecido como cisterna nordestina. “Em cinco dias úteis é possível construir uma cisterna como a do colégio aqui de Santo Ângelo. Ela tem um custo médio de R$ 2.600 e tem capacidade de armazenamento de 16 a 17 mil litros de água”, salienta.

Com a água captada das chuvas, ela pode ser usada na limpeza da escola, na irrigação de pequenas hortas e para lavar veículos, evitando desperdício da água tratada.