Estiagem faz população relaxar na prevenção ao aedes aegypti

0
85

Pelo menos 50 amostras de larvas precisam ser examinadas para comprovar se são do mosquito

 Enquanto a zona rural sofre com os efeitos da estiagem desde novembro de 2011, no perímetro urbano, a preocupação é com o combate a futuros criadouros do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue.

Técnicos da Vigilância Ambiental de Santo Ângelo estão comprovando na atividade de campo uma despreocupação da população com o combate a possíveis focos do mosquito.

O descuido considerado até certo ponto natural devido à seca, a ausência de chuvas e o não acúmulo de água, pode se transformar em um grave problema no futuro.

Essa pelo menos é a preocupação da coordenadora da Vigilância Ambiental Municipal, Selenir Arruda. “Enquanto nossos agentes estão constando uma diminuição de focos do mosquito, estamos comprovando um excesso de futuros criadouros”, afirma.

O motivo é o acúmulo de lixo nos pátios e terrenos baldios.
Até sexta-feira (20), haviam sido colhidas 50 amostras de larvas de mosquito que ainda necessitam de análise laboratorial para comprovar se são ou não do Aedes Aegypti. Em 2011, esse número era três vezes maior.

Segundo Selenir, uma simples tampinha de garrafa, saco plástico ou até a casca do ovo, quando vier à chuva se transformam em recipiente de água e viram um criadouro do Aedes Aegypti. “É necessário que a população entenda que somente ela é que pode combater a proliferação do mosquito, com o simples gesto de não juntar lixo”, diz a coordenadora da Vigilância Ambiental.

Além do lixo doméstico, o que mais está preocupando os agentes é o excesso de pneus velhos que as pessoas possuem estocados em casa.

Diariamente o caminhão do Departamento Municipal do Meio Ambiente (Demam), carrega três cargas com o produto.
Antônio Cardoso, diretor do órgão, diz que já foram recolhidos desde o começo do ano 3.400 pneus. “Nossa previsão é que iremos passar dos 5 mil pneus velhos até o final do mês”, afirmou.

Mensalmente o Demam encaminha o produto para reciclagem. Só na semana passada foram carregados 4.230 pneus velhos.
Os pneus de automóvel foram para a cidade de Nova Santa Rita, enquanto os de caminhão e ônibus para o Paraná.