Estoques de postos de combustíveis de Santo Ângelo podem terminar em dois dias

0
99

Condições marítimas atrasam fornecimento para distribuidoras

Postos de Combustíveis de Santo Ângelo enfrentam desde o último dia 10 de outubro dificuldades para receber gasolina das distribuidoras e com isso estão trabalhando no limite de seus estoques, pois recebem quantidades menores do produto.

Conforme o representante local do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes (Sulpetro) e proprietário do Posto Flach, Júlio Machado, o problema estaria ocorrendo pela dificuldade de os navios que trazem petróleo e gasolina ao Estado se conectarem à monoboia (estrutura flutuante ancorada em mar aberto, que permite a amarração de navios para descarga por meio de tubulação submarina) da Petrobras em Tramandaí, no Litoral Norte. A dificuldade estaria ocorrendo devido ao mau tempo na região.

O problema pode estar comprometendo o abastecimento em Santo Ângelo. “Antes você fazia o pedido de combustível e só vinha uma parte; agora nem estão mais mandando os nossos pedidos. Se continuar assim, em dois dias poderá terminar os nossos estoques de gasolina, principalmente nos postos independentes (bandeira branca)”, afirma.

Júlio Machado diz que por enquanto não está havendo reflexo no preço do combustível, porém, prevê um aumento natural nos próximos dias por parte da Petrobras, que quer reajustar em torno de 10% os preços em decorrência da defasagem em nível nacional. “Tem distribuidoras da região que já estão buscando combustível no Paraná e em Santa Catarina, onde o problema é menor. O que estamos sugerindo é que os motoristas que possuem carro flex abasteçam com etanol”, destaca.

O preço médio da gasolina nos postos de combustíveis de Santo Ângelo é de R$ 2,87, enquanto que o etanol está custando R$ 2,49, o litro. Diariamente são vendidos aproximadamente 130 mil de gasolina nos 20 postos do município.

À ESPERA DE COMBUSTÍVEL

Nestor Renê Koch, proprietário de uma rede de 12 postos, disse na terça-feira que estava esperando há 48 horas um carregamento de 58 mil litros de gasolina. “Não existe atraso na entrega pela distribuidora de etanol e diesel. A dificuldade é somente com gasolina”, diz Koch.

Essa falta de produto é sentida nos vários postos do município desde o último dia 10 de outubro, com destaque para as bandeiras Ipiranga, Latina, Charrua e também BR.

Nenhum posto de combustíveis adotou o sistema de racionamento no abastecimento de gasolina aos clientes.