Faça Bonito: campanha mobiliza sociedade pela proteção da infância

0
344
Fabio Ávila da Silva; Viviane de Almeida; Diana Konzen; Alcinda de Souza, coordenadora do Conselho Tutelar; Jonata Ferreira, vice-coordenador. Foto: Divulgação

Destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes são os principais objetivos da campanha Faça Bonito – lembrada em 18 de Maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Segundo a coordenadora do Conselho Tutelar de Santo Ângelo Alcinda de Souza, a violência contra a criança e o adolescente teve um aumento significativo nos últimos anos, “com agressões de todos os tipos, um problema preocupante de saúde pública”, destaca.

Ainda conforme dados do setor, de janeiro até o início de maio, o Conselho Tutelar registra 15 crianças e adolescentes em atendimento com a psicóloga Tainah Moraes Vorpagel, “esses são de suma importância, já que as dores do abuso deixam marcas profundas, por serem seres em pleno desenvolvimento físico, psíquico, moral e social”, reforça Alcinda.

Ela ainda lembra que uma ferramenta na identificação de casos é o diálogo: “converse com seus filhos, pois eles são prioridade absoluta e devem ser alvo de proteção integral de nosso sistema de garantias de direitos da criança e do adolescente.”

Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA), Mariliane Monteiro explica que neste dia 18 de maio será trabalhado um dos temas de proteção contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes: Esquecer é permitir, lembrar é combater. “A ideia é falar justamente sobre as medidas preventivas que podemos aplicar com as crianças e adolescentes no nosso município”, destaca.

Uma sugestão que Mariliane dá, é de que pais conversem com os filhos sobre o assunto. “Pais podem pensar que é um tema pesado, mas tem formas é a melhor é esclarecer, falar com os filhos de forma clara e objetiva sobre a inviolabilidade de seu corpo”, detalha.

Recomendação é que esse diálogo seja trabalhando de forma tranquila, explicando do quão importante é as crianças e adolescentes estarem atentos (tanto a estranhos quanto aos que são da convivência da família). “Falar sobre o cuidado com seu corpo, caso ocorra o toque de outra pessoa, é extremamente importante para que tenham confiança nos pais ou professores, sem se sentir com medo. Se pais abordam essa temática, dão segurança ao filho em poder falar sobre isso sem se sentir culpado”, completa.

Denúncias

Em 2019, no Brasil, foram mias de 78 mil casos de violação dos direitos de crianças e adolescentes. Portanto, Alcinda reforça a importância das denúncias no Conselho Tutelar pelo telefone (55) 9 8419 5716, no Disque 100 ou, em caso de emergência, pelo 190.
De acordo com o artigo 130 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): “Verificada a hipótese de maus-tratos, opressão ou abuso sexual impostos pelos pais ou responsável, a autoridade judiciária poderá determinar, como medida cautelar, o afastamento do agressor da moradia comum.”

Por que 18 de Maio?

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

30 anos do ECA

Em 2020 também comemoramos 30 anos de criação do ECA – principal instrumento normativo do Brasil sobre os direitos da criança e do adolescente-, e 20 anos de criação do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here