Familiares e comunidade santo-angelense se despedem de Leo Fett

0
189

Corpo do escritor está sendo velado no Plenário da Câmara de Vereadores

Está sendo velado na Câmara de Vereadores de Santo Ângelo o corpo do escritor, historiador, advogado, pecuarista e engenheiro agrônomo Leo Petersen Fett, que faleceu por volta das 13h10min de sábado (3) no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

Amigos e familiares prestam as últimas homenagens ao escritor. Às 17h30min de hoje, será feita uma homenagem por parte da Câmara de Vereadores e Prefeitura de Santo Ângelo à memória de Leo Fett. Já às 18h, deve ocorrer cerimônia religiosa pela Igreja Evangélica de Confissão Luterana, a qual o escritor seguia, no plenário da Câmara, para o posterior sepultamento no Cemitério Sagrada Família.

Leo Fett nasceu em 9 de março de 1923, em Lajeado. Veio aos oito anos para Santo Ângelo. Era casado com Carmen Therezinha de Carvalho Fett, com quem teve três filhos: Leo Fett Filho, casado com Lorena Milani Fett e pais de Rodrigo, Ana Carolina, Fernando e Januário; Virginie de Carvalho Fett, casada com Gustavo Ricardo Welp e pais de João Pedro e Marcelo; e Vera Therezinha Fett Sudbrack da Gama, casada com Aldo Sudbrack da Gama e pais de Robson e Denilson.

DEFESA DA HISTÓRIA

O escritor e historiador Leo Fett era conhecido por lutar por bandeiras em prol da comunidade, principalmente na defesa da manutenção da história local. Grande conhecedor da história do século XX em Santo Ângelo, lançou no ano de 2010 a obra “Memórias Vivas”. Era integrante da Academia Santo-angelense de Letras, do Movimento Pró-Memória. Fundou, em 2011, o Instituto Genealógico, Histórico e Geográfico de Santo Ângelo. Também foi um dos fundadores da Cotrisa e da Associação Missioneira de Engenheiros Agrônomos.